Em destaque

18 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20602 patacas e 1.1314 dólares norte-americanos.

Revista de imprensa de Macau e Hong Kong (Segunda-feira)
Segunda, 07/09/2015

As eleições para o Conselho das Comunidades Portuguesas e a ruptura no seio da Associação Novo Macau são temas em destaque nos jornais locais. Em Hong Kong, os matutinos saem para as bancas com temas diferentes em manchete, como o aumento das despesas por parte do Governo Central, a questão religiosa do Tibete e as vendas duvidosas em Hong Kong.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Ou Mun diz que a construção da ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau entrou na fase final. O jornal também escreve na primeira que “no final do ano corrente ou no início do próximo” vai acabar a isenção fiscal para autocarros de turismo e também aumentará o imposto para a importação de veículos motorizados.

 

O Va Kio titula que “um homem forçou o amigo a assumir uma dívida de dois milhões de dólares de Hong Kong”. O diário dá também conta do encontro entre o Chefe do Executivo, Chui Sai On, e a directora-geral da Organização Mundial de Saúde. Margaret Chan garantiu que a organização irá continuar a apoiar a política de formação de talentos de Macau, designadamente no domínio da saúde pública.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

A Ou Mun Tin Toi noticia que o deputado Ng Kuok Cheong pede o apoio às Pequenas e Médias Empresas para a concretização da política de salário mínimo.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

O Jornal Tribuna de Macau escreve em manchete que a Escola Portuguesa de Macau está “na vanguarda da educação inclusiva”, já que vai passar a contar com 26 alunos de educação especial e uma nova professora apenas para esta área, aumentando para dois o número de docentes especializados. Um dos destaques com fotografia remete para a eleição para o Conselho das comunidades – “recorde ficou por bater com 2.320 votantes”.  

 

O título principal do Ponto Final diz “zangam-se as comadres” e é acompanhado de uma fotografia dos deputados Ng Kuok Cheong e Au Kam San ao lado de Jason Chao. Os deputados juntaram-se a uma nova associação cívica, num acto visto por Jason Chao como um gesto de desafio à Associação Novo Macau. “Publicidade ao jogo: o legal, o ilegal e o dúbio”, é o que diz ainda uma das chamadas de primeira página.

 

O Hoje Macau destaca o “epílogo de uma alegre campanha” – Coutinho vence eleições para o Conselho das Comunidades com 2158 votos. Ainda assim, “um número aquém dos 2500 eleitores que votaram nas últimas eleições”, aponta o diário. “Já não é fácil fazer protestos”, é o que afirma Ronald Lou, líder da New Power of Melco Crown, em entrevista ao Hoje.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Macau Daily Times publica uma fotografia de Jason Chao à porta do consulado de Portugal, dando conta das suas críticas aos deputados da Associação Novo Macau, depois de terem criado uma nova associação cívica. Em rodapé, o diário escreve “precisosos arquivos locais depositados em Taiwan”.

 

No Macau Post, a manchete é feita com crime: “Grupo usa a força para extorquir um homem no valor de 2.16 milhões de dólares de Hong Kong”. Ainda destaque nesta edição um conselho de analistas estrangeiros que apelam a Pequim para que “deixe cair as acções”.

 

O Business Daily coloca em grande plano a previsão da Fitch que diz que a “situação em Macau permanece estável”. De acordo com o jornal económico, a agência de notação financeira quer esperar pelos números de Setembro para fazer um vaticino sobre os planos de austeridade do Governo.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O South China Morning Post escreve no título principal: “Pequim aumenta as despesas em 10 por cento para manter economia à tona”. Na coluna lê-se “recenseamento de idosos em massa para eleições locais” – é o que demonstra um estudo realizado pelo South China.

 

O China Daily faz manchete com o Tibete: “Livro Branco reafirma política sobre Buda”. O documento diz que o Governo Central tem um “inegável direito de aprovação no sistema de reencarnação”. As fotografias publicadas na primeira do jornal oficial chinês remetem para a saga dos refugiados na Europa.

 

No interior desta edição de sexta-feira, o Standard dá destaque ao Conselho de Consumidores de Hong Kong que pede acção contra “vendas duvidosas” por parte de grandes empresas.