Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

CE: Cortes incidem apenas sobre gastos supérfluos
Quarta, 02/09/2015

O Chefe do Executivo afirmou esta manhã que as medidas de austeridade, em vigor desde ontem, visam somente uma redução das despesas consideradas “desnecessárias” e sublinhou que a saúde financeira de Macau continua boa. “Houve, de facto, catorze meses consecutivos de quebra das receitas, mas se olharmos ao desempenho económico dos últimos 15 anos, a economia ainda é estável. A população não tem de estar preocupada”, sustentou.

 

Tratando-se de um esforço para diminuir gastos supérfluos, Chui Sai On espera a cooperação de toda a Administração. “Todos os serviços públicos têm de conseguir diminuir nalgumas despesas, nomeadamente nos gastos desnecessários. Mas isto não afecta as obras de infra-estruturas, regalias e benefícios sociais”.

 

Em declarações aos jornalistas, antes de partir para Pequim, o líder do Governo reiterou a necessidade de Macau se promover como centro mundial de turismo e lazer. Chui Sai On adiantou ter discutido com alguns secretários ideias para um novo aumento no número de visitantes da China e também para se atrair mais turistas de outros países e regiões. “Com isso, e também através do apoio às Pequenas e Médias Empresas pretendemos consolidar este nosso pilar”.

 

O Chefe do Executivo falou ainda da situação de aquisição de terrenos, apontando que na Ilha da Montanha “não foi gasto erário público ou assinado qualquer protocolo”. Segundo Chui Sai On, o Governo de Macau não foi além da fase de “discussão e estudo” com as autoridades de Guangdong.