Em destaque

18 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20602 patacas e 1.1314 dólares norte-americanos.

Canídromo: Petição da ANIMA recolhe 270 mil assinaturas
Sexta, 24/07/2015

A ANIMA entrega hoje às autoridades uma petição com 270 mil assinaturas contra a renovação da licença de exploração do Canídromo. Albano Martins, o presidente da Sociedade Protectora dos Animais de Macau, diz que o resultado da iniciativa ultrapassou em muito as expectativas que tinha.

 

“Tínhamos o limite de 10 mil e devemos ter à volta de 270 mil apoiantes”, diz. Nos dias em que a ANIMA recolheu assinaturas na rua, quase três mil pessoas se juntaram à causa. “Mas quando entrámos em contacto com as 165 organizações – 65 delas são da China – a petição disparou.”

 

O documento vai ser entregue hoje à tarde ao presidente do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais. O Chefe do Executivo alegou agenda cheia para não receber os representantes da ANIMA e de várias associações de protecção dos animais que vieram a Macau para uma iniciativa precisamente sobre os galgos. São associações que apoiam a causa lançada por Albano Martins: “Não há qualquer razão nem económica, nem comunitária, nem de bem-estar para os animais para que aquela instituição, com mais de 50 anos, continue naquele espaço, numa zona altamente povoada”.

 

Albano Martins falava aos jornalistas ontem ao princípio da noite, depois de uma mesa de trabalho que juntou em Macau uma dezena de associações de animais, de vários países da Ásia, mas também da Europa, Estados Unidos e Austrália. Tratou-se de um dia de trabalho dedicado exclusivamente aos galgos que serviu para definir uma estratégia conjunta. “Pela primeira vez na história dos galgos, estas organizações juntaram-se todas para ajudar a impedir o crescimento da indústria dos galgos mundialmente. Todos nós vamos fazer um grande esforço para bloquear o crescimento da indústria”, frisou o presidente da ANIMA.

 

De acordo com as estimativas da Sociedade Protectora dos Animais de Macau, na primeira metade deste ano foram abatidos entre 160 a 170 galgos. Eram animais jovens que poderiam ter sido adoptados. A ANIMA quer agora que o Canídromo feche definitivamente as portas.