Em destaque

18 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20602 patacas e 1.1314 dólares norte-americanos.

Wikileaks: CCAC diz que usa métodos de investigação legais
Quinta, 16/07/2015

O Comissariado contra a Corrupção (CCAC) garante que todos os meios que usa nas investigações estão em “rigorosa conformidade com a lei”. É a reacção do CCAC à revelação feita em e-mails divulgados pelo Wikileaks, que dão conta do interesse do comissariado na aquisição de tecnologia que permite controlar as comunicações feitas através da Internet.

 

Em comunicado aos órgãos de comunicação social, o CCAC vem dizer que “tem de conhecer e entender a evolução das tecnologias na perspectiva da investigação e da contra-investigação”, uma vez que quem pratica crimes recorre a métodos cada vez mais sofisticados. O comissariado sublinha que “todos os meios e técnicas adoptadas nas diligências” são de natureza confidencial, pelo que não responde a perguntas sobre os métodos concretos adoptados para as investigações.

 

O jornal Ponto Final escreve, na edição de hoje, que elementos do Comissariado contra a Corrupção terão estado reunidos, em Outubro de 2013, com responsáveis da empresa italiana Hacking Team, para uma demonstração da tecnologia RCS – um software que permite a monitorização de comunicações da Internet.

 

A denúncia feita pela divulgação de emails no portal Wikileaks está a deixar preocupada a Associação Novo Macau, que quer o Ministério Público a investigar o que se passa.