Em destaque

21 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.21 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Consultora: “Há um “regresso à racionalidade” no imobiliário
Quarta, 15/07/2015

Os preços da habitação devem continuar a descer, tanto nas casas para arrendar, como naquelas que estão a ser postas à venda, mas a descida na segunda metade do ano não deve ir além de cinco por cento nos dois sectores. São as previsões da consultora Jones Lang LaSalle, que hoje apresentou as expectativas para os seis meses que faltam de 2015.

 

Jeff Wong, responsável pelo segmento da habitação, diz que não haverá grandes alterações para o mercado mais comum do arrendamento: “Para as propriedades do segmento de massa e de dimensão média, acreditamos que as rendas vão estabilizar nos níveis actuais, especialmente porque há uma série de novos projectos que vão ser lançados muito em breve, por isso esperamos que os trabalhadores importados continuem a aumentar, o que dará um apoio sólido ao mercado do arrendamento.”

 

Já no que diz respeito às habitações de luxo, os preços caíram quase 12 por cento no primeiro semestre deste ano, uma queda que se deve, de acordo com a Jones Lang LaSalle, ao facto de os junkets terem deixado de arrendar muitos destes apartamentos. Por isso, é o sector que enfrenta uma maior pressão.

 

“Poderá haver muito mais pressão neste segmento, especialmente para aqueles empreendimentos perto dos casinos, em que a maioria dos ocupantes está a trabalhar no sector do jogo. Vai haver muita mais pressão, mas acreditamos que a grande correcção já aconteceu. Por isso, na segunda metade do ano, a correcção deverá ser de apenas cinco por cento”, afirma Jeff Wong.

 

A consultora estima que, em termos globais, os preços vão cair 15 por cento em 2015 – uma situação que é uma consequência directa da descida das receitas do jogo, mas que permite, de acordo com a empresa, o “regresso à racionalidade” no sector imobiliário.