Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Revista de imprensa de Macau e Hong Kong (Quinta-feira)
Quinta, 02/07/2015

A queda nas receitas do jogo no mês de Junho é um dos temas hoje em foco na imprensa de Macau. Quanto aos jornais de Hong Kong destacam a fraca adesão à marcha pela democracia e a lei de segurança nacional aprovada em Pequim.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

O metro ligeiro é o tema principal da primeira do Ou Mun. Ainda não há acordo entre o Governo e o consórcio responsável pela obra do parque de materiais e oficina do metro na Taipa. O novo coordenador do Gabinete para as Infraestruturas e Transportes, Ho Cheong Kei, prevê que, se não houver um consenso, a questão será resolvida nos tribunais.

 

O Va Kio dá conta da detenção de seis pessoas por suspeita de tráfico de droga. A droga encontrada foi avaliada pela Polícia Judiciária em 470 mil patacas.

 

Canal Chinês da Rádio Macau

O Canal Chinês da Rádio Macau conta que, esta manhã, um carro ficou atravessado no Ramal dos Mouros e bloqueou a rua. O condutor tentava estacionar mas acabou por bater com o carro. O homem admitiu estar a conduzir sob efeito de álcool, mas acabou por não fazer o teste no local por estar a precisar de assistência médica. Em foco ainda um incêndio, esta manhã, nas obras do hotel Luis XIII em Coloane.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

“Um colapso anunciado” titula o Ponto Final. As receitas do jogo voltaram a cair e Junho foi o pior mês das concessionárias de jogo de Macau em mais de quatro anos, adianta o jornal. Noutra chamada de capa lê-se “E.Coli obriga ao encerramento de piscinas” de Cheoc Van e do Parque Central da Taipa.

 

O Jornal Tribuna de Macau escreve “Lei de Segurança chinesa sem aplicação em Macau”. Chui Sai On lembrou ontem que o diploma não integra o conjunto reduzido de leis chinesas que se aplicam a Macau. No destaque fotográfico o Hotel do Estoril: o projecto previsto para a antiga unidade hoteleira “vai ‘reorganizar’ Tap Seac”, acrescenta o matutino.

 

O destaque principal do Hoje Macau vai para a lei violência doméstica: “O silêncio dos dirigentes” é o título. “A nova versão da lei deveria ter sido apresentada em Maio para entrar na especialidade, mas até agora nada disso aconteceu. (...) Há quem diga que o Executivo tem outras prioridades”, adianta o jornal. Em foco ainda “O escândalo da política grega da Europa”.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

O Macau Daily Times conta que as “receitas do jogo descem aos valores mais baixos dos últimos quatro anos”. O jornal puxa para destaque fotográfico as manifestações de ontem em Hong Kong e fala de ajuntamentos dispersos na luta pela democracia.

 

“Roda da desgraça” titula o Business Daily. As receitas do jogo continuam a descer e em Junho a queda rondou os 36 por cento. Em foco ainda os lucros dos bancos quando a economia local está em contracção.

 

O Macau Post Daily destaca a queda de 30 por cento nos preços das casas. São dados da agência imobiliária Ricacorp que adianta “não se perspectivarem sinais de crescimento no segundo semestre”. Em destaque ainda o primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, que cumpriu ontem o segundo dia de visita a França.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

O South China Morning Post puxa para manchete a marcha pela democracia de ontem em Hong Kong. A participação ficou abaixo das expectativas mas os organizadores prometem continuar a luta pela democracia. Em foco ainda a aprovação da nova lei de segurança nacional em Pequim.

 

O China Daily titula “Chefe do Executivo apela à construção de uma melhor Hong Kong” nas comemorações dos 18 anos da Região Administrativa Especial. Noutro destaque lê-se “Pequim quer que a Grécia permaneça na zona euro”.

 

Com uma primeira página dedicada a publicidade, o Standard escreve, no interior, que a nova lei de segurança nacional levanta questões sobre o artigo 23 em Hong Kong.