Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Quinta-feira)
Quinta, 18/06/2015

A visita de Chui Sai On a Pequim, o encontro da comunidade juvenil macaense e as reacções de Pansy Ho à intenção do Governo em proibir o tabaco nos casinos são temas que preenchem os destaques da imprensa local. O arranque do debate sobre a reforma política, em Hong Kong, domina as primeiras páginas dos jornais da região vizinha.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Ou Mun coloca na primeira página Chui Sai On. O Chefe do Executivo esteve reunido, ontem, com o director-geral da Administração das Alfândegas da China e com o director da Administração Estatal Oceânica. A gestão de áreas marítimas, sob jurisdição da RAEM, foi um dos temas abordados, assim como o novo posto fronteiriço de Gongbei.

 

O Va Kio destaca o mesmo tema. O jornal olha ainda para um caso de polícia. Uma residente de Macau, de 57 anos, foi detida, por suspeitas de desvio de um cheque no valor de um milhão de patacas. O dinheiro pertencia ao patrão.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

O canal chinês da Rádio Macau está a acompanhar os manifestantes que se concentram à porta do Conselho Legislativo de Hong Kong. De acordo com a imprensa, a votação da reforma política pode acontecer ainda hoje.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

O Hoje Macau titula “destinos cruzados”. A proposta de reforma política elaborada por Pequim, que define um sufrágio universal condicionado, vai hoje a votos no Conselho Legislativo de Hong Kong. Do lado de cá, o Executivo olha com atenção para “o destino que está a ser traçado” na antiga colónia britânica. O jornal adianta ainda que o novo projecto de lei sobre rendas “pode chegar até Agosto”.

 

O Jornal Tribuna de Macau avança que o Instituto de Formação Turística está “preparado para investir em pós-graduações”. No destaque fotográfico estão os jovens que “reencontram raízes”, em Macau, no terceiro encontro da comunidade juvenil macaense.

 

O Ponto Final explica que “quase quatro milhões” foram parar às mãos do irmão do vogal do Fundo para as Indústrias Culturais, recentemente afastado do cargo. O jornal acompanhou também a rodagem de um documentário sobre o pintor inglês George Chinnery.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Business Daily destaca a quarta edição do Fórum de Economia de Turismo Global, que vai decorrer em Outubro, sob o mote "Uma Faixa, Uma Rota – Desvendar Novos Dinamismos do Turismo Cultural". Este ano, os convidados especiais são Perú, Chile, México e Colômbia. Duas regiões chinesas estão também em destaque: Zhejiang e Hunan. “Acumular para especular”, lê-se ainda no Business Daily. Uma agência imobiliária defende que este é o momento certo para comprar casa. Os preços baixaram e, no futuro, a procura vai aumentar, especialmente, no segmento de casas avaliadas entre “três e quatro milhões de dólares de Hong Kong”.

 

O Macau Daily Times faz manchete com a diáspora macaense que está reunida para manter a cultura viva. Ontem, arrancou o terceiro encontro da comunidade juvenil macaense. Outra referência de primeira página vai para “académicos dizem que o Governo precisa de encontrar de forma cautelosa um equilíbrio na proibição do tabaco nos casinos”.

 

O Macau Post Daily coloca em destaque as declarações de Pansy Ho sobre este tema. A co-presidente da MGM China diz que os casinos estão a procurar um “compromisso” com o Governo e rejeita a tese de pressão.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O China Daily nota que “esta noite ou amanhã” é votada a reforma política em Hong Kong. O jornal oficial chinês explica ainda que foi “fechado” um acordo de comércio livre entre a China e a Austrália, que vai diminuir as actuais barreiras.

 

O South China Morning Post escreve que os dois lados da bancada do Conselho Legislativo estiveram “firmes” no arranque do debate sobre a reforma política, na região vizinha. O diário avança ainda que seis dos detidos suspeitos de prepararem um ataque à bomba acusam a polícia de “agressão” e “ameaças” para cooperarem na investigação. O caso foi descoberto na segunda-feira.

 

O Standard fala num “dia importante” em Hong Kong, já que está em perspectiva a votação da reforma política. Sobre o dia de ontem, que marcou o início do debate no conselho Legislativo, o jornal dá conta de que a polícia esteve “discreta”, apesar de ter sido reforçada a segurança.