Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

Henan em foco na festa do património mundial de Macau
Quarta, 10/06/2015

O Instituto Cultural quer aproveitar as celebrações do décimo aniversário da inscrição do centro histórico de Macau na lista da UNESCO do património mundial para mostrar “a rica herança da civilização chinesa”, dando destaque à cultura de Henan.

 

O património da província chinesa vai estar em foco no programa de comemorações hoje apresentado, merecendo, mesmo, as honras de dar início aos eventos, no próximo dia 13 de Junho, com uma exposição no Galaxy Macau onde vão estar em destaque “cães de barro do município de Huaiyan”, “recortes em papel” ou “bordados Bian”. Ainda no dia 13 e no seguinte, as Ruínas de São Paulo vão ser o palco de actuações de artes marciais de Shaolin, “tai chi” e ópera de Henan. As actividades relacionadas com a província chinesa estendem-se até 28 de Junho e incluem, ainda, “workshops” e uma palestra.

 

De acordo com o presidente do Instituto Cultural, Guilherme Ung Vai Meng, a decisão de apresentar um programa sobre o património de Henan nas comemorações relativas ao centro histórico de Macau justifica-se pela “experiência da província nas questões da salvaguarda do património, sobretudo imaterial”.

 

Segundo as declarações de Guilherme Ung Vai Meng, em conferência de imprensa, Macau “precisa de aprender com os outros e decidimos, desta vez, cooperar com a província de Henan”.

 

Globalmente, as comemorações do décimo aniversário da inscrição do centro histórico de Macau na lista do património mundial vão custar 3,3 milhões de patacas e abrangem 35 eventos, entre exposições, novas publicações e espectáculos, além da inauguração de novas instalações.

 

É o caso do posto de informações da Fortaleza da Guia, que vai passar, ainda este mês mês, a chamar-se “Centro de Informações”. Em Julho, abre ao público a Exposição de Carpintaria de Lu Ban e, em Agosto, a Academia Jao Tsung-I exibe pinturas e caligrafias doadas pelo professor Jao. Em Setembro, entra em funcionamento a Cinemateca “Paixão”, junto às Ruínas de São Paulo.

 

Ainda este ano, o Instituto Cultural planeia, também, inaugurar uma mostra no Posto do Guarda-Nocturno, no Patane, para “dar a conhecer aos residentes esses tempos de outrora”.

 

Para o dia 12 de Julho, está agendado um seminário internacional sobre conservação do património cultural, evento durante o qual vão ser apresentadas novas publicações, incluindo um número especial da Revista de Cultura.

 

Foi a 15 de Julho de 2005 que o centro histórico de Macau foi inscrito na lista do património mundial da UNESCO. De acordo com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, “com as suas ruas, edifícios religiosos e residenciais portugueses e chineses, o centro histórico de Macau oferece um testemunho único do encontro das influências estéticas, culturais, arquitectónicas e tecnológicas Orientais e Ocidentais”.