Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

Associação de Cirurgia preocupada com decisão do TSI
Quarta, 10/06/2015

Os médicos que se têm manifestado contra a sentença do Tribunal de Segunda Instância – que condenou dois médicos por erro no diagnóstico – não pretendem desafiar o sistema jurídico, mas sim alertar a sociedade para um problema grave que a decisão veio colocar na relação entre profissionais de saúde e pacientes, afirma o presidente da Associação de Cirurgia de Macau.

 

Porque o procedimento criminal tinha prescrito, os médicos acabaram por não ser condenados, mas o que conta, para Chu Man Lap, é a interpretação da lei que está a ser feita. “O pensamento na área jurídica e o pensamento dos médicos são diferentes. Na área da medicina, há quem considere que os juízes erraram na decisão relativa aos médicos condenados, que a decisão não é razoável. Portanto, várias associações de médicos publicaram comunicados nos jornais. Querem chamar atenção da sociedade para este caso – não pretendem desafiar a lei de Macau”, vincou, em declarações à Rádio Macau.

 

O presidente da Associação de Cirurgia de Macau salienta que há muitos médicos preocupados com a possibilidade de poderem vir a responder criminalmente por falhas num diagnóstico, um acto que praticam todos os dias.

 

Neste contexto, Chu Man Lap pede atenção à lei do erro médico, que está em sede de comissão na Assembleia Legislativa. Os mecanismos de salvaguarda dos profissionais de saúde têm de ser garantidos, destaca o clínico: “Esta lei protege principalmente os cidadãos. Esperamos que no diploma possam ser aumentados os mecanismos relativos aos médicos, como a questão do seguro. Espero que a Autoridade Monetária de Macau possa ajudar nesta matéria.”

 

O tema esteve em destaque hoje no programa Fórum do canal chinês da Rádio Macau.