Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

CCCC: Vice-presidente defende fundo lusófono em Macau
Quinta, 04/06/2015

O vice-presidente da China Communication Construction Company (CCCC), uma empresa estatal chinesa que é líder mundial em projectos de infra-estruturas e logística, defende que Macau deve criar um fundo para os negócios com os países lusófonos. Sun Ziyu acredita que, deste modo, Macau poderia desempenhar um melhor papel enquanto plataforma entre a China e a lusofonia.

 

“O Governo de Macau tem de pensar em tornar a cidade num centro financeiro regional. No âmbito da estratégia ‘uma faixa, uma rota’, por que não o estabelecimento de um fundo em Macau, através da Geocapital ou mesmo de capitais de Macau? Esse fundo iria beneficiar em particular as empresas da China que procuram investir em países de língua portuguesa. Porquê? Porque aqui há um secretariado permanente do Fórum, portanto, é fácil haver uma coordenação ao nível governamental e permite às empresas solucionarem muitos problemas”, apontou o responsável da CCCC.

“É preciso uma política destas mas só em Macau, em mais nenhuma cidade ou país”, afirmou ainda Sun Ziyu, à margem do 6º Fórum Internacional sobre o Investimento e Construção de Infra-estruturas, acrescentando que o outro passo necessário já está a ser dado por Macau, ao servir de plataforma para comunicações que mais tarde podem resultar em parcerias de negócios.