Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

Sin Fong: Jason Chao duvida da imparcialidade do CCAC
Terça, 02/06/2015

Jason Chao não se conforma com o resultado da investigação do Comissariado contra a Corrupção (CCAC) no caso Sin Fong. A Associação Novo Macau defende que o Governo interferiu na independência judicial e pediu ao CCAC que investigasse o caso.

 

Os pró-democratas alegam que, durante as negociações para pôr fim aos protestos do ano passado, terão sido feitas promessas aos manifestantes de que não teriam de responder em tribunal. O CCAC não encontrou provas que sustentem esta teoria. Jason Chao duvida do rigor da investigação.

 

“Não sabemos se é uma investigação bem conduzida e imparcial do Comissariado contra a Corrupção, porque o comissário, André Cheong, era membro da comissão que esteve a lidar com o Sin Fong Garden. Esta investigação foi feita extraordinariamente depressa”, destaca. “Sabemos que as investigações conduzidas pelo CCAC têm sido muito lentas, mas esta foi concluída em menos de mês, o que é surpreendentemente depressa.”

 

Jason Chao insiste na teoria de que houve interferência do Governo nas conversações do ano passado: “O facto de o CCAC ter falhado em encontrar provas não significa necessariamente que a promessa não tenha sido feita por funcionários do Governo.”