Em destaque

14 de Dezembro 2018: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1727 patacas e 1.1365 dólares norte-americanos.

Anselmo Teng: Indexação da pataca não é para mudar
Terça, 14/04/2015

A pataca deverá continuar indexada ao dólar de Hong Kong. A ideia foi hoje defendida pelo presidente da Autoridade Monetária de Macau, Anselmo Teng. “A indexação tem estado em vigor há muitos anos e, até agora, tem funcionado bem. Tem também garantido estabilidade económica e financeira, bem como estabilidade monetária”, salientou. “Quando a equipa do Fundo Monetário Internacional veio [a Macau], no ano passado, também fez uma revisão deste sistema de indexação da moeda. [Os técnicos] são da opinião que é o mais adequado para Macau e deve manter-se deste modo.”

 

Anselmo Teng falava à margem da recepção de Primavera da Autoridade Monetária. Instado a comentar o elevado valor envolvido em transacções ilegais através dos terminais portáteis da UnionPay em Macau, o responsável garantiu que a instituição mantém uma cooperação estreita com as entidades congéneres do exterior, mas recorda que são casos de polícia. “Muitos casos envolvem elementos criminais. Os nossos colegas da Polícia Judiciária lidam com eles. Se for necessário providenciar ajuda técnica, nós damos.”

 

Em números fornecidos à Agência Lusa, no mês passado, a Polícia Judiciária avançou que, no primeiro trimestre deste ano, o volume das transacções ilegais através dos terminais portáteis do UnionPay tinha atingido cerca de 260 milhões de patacas, um terço do total do ano passado.

 

No discurso que fez na recepção de Primavera, Anselmo Teng destacou que a economia de Macau vive uma fase de ajustamento, que se sente também ao nível do preço dos imóveis. As novas circunstâncias não devem, no entanto, ser acompanhadas de alterações nas regras para os bancos para a concessão de empréstimos: não há planos para acabar com o limite de 70 por cento dos empréstimos bancários para a aquisição de habitação.

 

“Há um grupo sob a alçada do Governo que está focado no desenvolvimento saudável do mercado imobiliário de Macau – e nós somos um dos membros. Claro que vamos ver a opinião dos outros departamentos, mas até agora esta disposição tem estado a funcionar bastante bem. A nossa perspectiva tem que ver com os bancos, para que estejam atentos e saibam lidar com os riscos envolvidos”, apontou Teng.

 

O presidente da Autoridade Monetária fez ainda referência à participação de Macau no Banco Asiático de Investimento de Infra-estruturas. A possibilidade tinha sido referida pelo secretário para a Economia e Finanças, Lionel Leong, durante o debate das Linhas de Acção Governativa. Anselmo Teng confirma que há planos nesse sentido, em relação à reserva financeira e à cooperação regional, mas não avançou detalhes.