Em destaque

22 de Março 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.2311 patacas e 1.1378 dólares norte-americanos.

LAG: Coutinho diz que não se “vê nada de palpável”
Segunda, 23/03/2015

O deputado Pereira Coutinho considera que as políticas hoje apresentadas pelo Chefe do Executivo para 2015 são um conjunto de ideias e intenções. O deputado critica a ausência de referências ao regime de responsabilização para os altos cargos. “Trata-se de um conjunto de ideias, um conjunto de intenções, mas que são difíceis de perceber quanto à sua concretização. Não estou a perceber como conseguirá elevar a capacidade governativa nos próximos cinco anos se não tivermos um regime claro de responsabilização dos titulares de altos cargos. Coisa que falhou nas LAG de 2015. Se não conseguirmos responsabilizar os principais actores do “teatro” vai ser muito injusto ter que assacar as responsabilidades aos outros que se limitam a cumprir ordens directivas e instruções”, afirmou.  

 

Fernando Chui Sai On anunciou hoje a realização de um estudo sobre os órgãos municipais sem poder político o que o deputado entende ser uma forma de dividir tarefas. “Acho que é um pouco para satisfazer os anos de luta para que de facto os órgãos municipais pudessem ter vozes representativas directamente eleitas dos bairros e zonas de Macau, para que a sobrecarga de trabalho que está neste momento a resultar para os deputados seja de alguma forma dividida entre os representantes municipais eleitos pela população e os deputados da Assembleia Legislativa que se deviam dedicar a outras tarefas, não aquelas directamente relacionadas com os órgãos municipais”, argumenta Pereira Coutinho.

 

O deputado entende que “não se vê nada de palpável que se pode extrair em concreto para resolver os problemas de Macau”. “A elevação da qualidade de governação é um princípio fundamental para ganhar a confiança dos cidadãos face é elevada burocracia, face à falta de transparência em tudo o que tem a ver com questões públicas”, acrescenta Pereira Coutinho.