Em destaque

22 de Janeiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.2217 patacas e 1.1363 dólares norte-americanos.

Adelino Gomes: "sem jornalismo não há verdadeira democracia"
Sábado, 21/03/2015

O jornalista Adelino Gomes considera que sem jornalismo não há verdadeira democracia. No programa Rádio Macau Entrevista, o antigo Provedor do Ouvinte na Antena 1 disse ainda que está por inventar um novo jornalismo.

 

Para Adelino Gomes a informação é essencial para as escolhas e serve a democracia. “Como é que se pode praticar democracia sem estar informado, sem compreender as coisas? Como é que se pode escolher, se não se sabe as razões para escolher, nem se sabe o que está em causa? Sem jornalismo não há verdadeiramente democracia”, questionou.

 

Olhando para a situação actual, o jornalista realça que o jornalismo nunca tinha sido atacado desta forma sistemática. “Este ataque a um jornal como o Charlie Hebdo é um ataque à liberdade de expressão mas vem num quadro recente de aquilo a que o actual papa Francisco chama de a terceira guerra mundial em fragmentos que estamos a viver. Acho que é uma expressão muito interessante.  Não é uma guerra mundial, como foi a primeira e segunda, com frentes de combate. São dispersos. O Boko Haram, por exemplo, ataca aqui, ataca ali, ataca além. Não percebemos bem quais são os objectivos parece às vezes serem de violência por violência, mas depois aquilo tem um certo sentido (...) portanto, nesta terceira guerra mundial em fragmentos, nunca o jornalismo tinha sido atacado assim desta forma sistemática”.

 

Nesta entrevista, Adelino Gomes defendeu também um novo jornalismo, que reflicta as mudanças sociais. “Eu estou muito curioso de saber como é que vai ser o novo jornalismo por inventar. Eu acho que vai ser inventado por jornalistas, mas muito ajudado pelas tais pessoas antigamente conhecidas por audiências. O que eu acho é que é preciso uma nova rádio, uma nova televisão, são precisos novos jornais que reflictam estas mudanças todas e esta mudança de paradigma, que de facto existe. Penso que há esse jornalismo para inventar (...) que traduza mais os dilemas deste tempo e o faça de uma forma satisfatória”.

 

Adelino Gomes, o convidado desta semana do Rádio Macau Entrevista, programa que vai para o ar hoje ao meio-dia e repete segunda-feira às 10h30. O jornalista português está no território a convite do Programa Académico da União Europeia em Macau. Ontem participou no atelier "Charlie, Estado Islâmico e o Coração do Jornalismo".