Em destaque

21 de Março 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.2742 patacas e 1.1424 dólares norte-americanos.

Revista de imprensa de Macau e Hong Kong (Quarta-feira)
Quarta, 18/03/2015

A descoberta de uma rede de prostituição da China Continental a operar em Macau e a nova taxa que vai ser cobrada aos passageiros do aeroporto de Hong Kong – são os temas principais das edições de hoje.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Ou Mun dedica a primeira página a um caso de prostituição descoberto pela polícia. As autoridades desmantelaram uma rede com ligações à China Continental – foram detidas 42 pessoas.

 

O Va Kio dá conta do mesmo caso e acrescenta que o grupo operava a partir de um hotel no Cotai, onde ocupava quatro quartos. Um dos alegados cabecilhas, oriundo da China Continental, tem apenas 16 anos. O jornal escreve ainda sobre outro caso de polícia: foi detido um homem de Guangxi suspeito de estar envolvido em 14 casos de furto. O alegado assaltante utilizava um martelo para partir vidros de carros, roubava carteiras, telemóveis e dinheiro.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

A emissora tem estado a dar voz a Kwan Tsui Hang – numa interpelação escrita ao Governo, a deputada mostra-se preocupada com a taxa de combustível dos voos que é cobrada aos passageiros. Referência também na Ou Mun Tin Toi para a nomeação de Sin Wun Kao para o cargo de subdirector-geral dos Serviços de Alfândega, publicada hoje em Boletim Oficial. Noutra nomeação, feita por Pequim, Sun Da e Zheng Zhen Tao foram escolhidos para subdirectores do Gabinete de Ligação do Governo Central na RAEM.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

“Pátios sem cantigas”, lê-se no Hoje Macau, acerca da “identidade votada ao esquecimento”. Noutras chamadas à primeira página, o salário mínimo que “só chega lá para o ano” e os “fantasmas na Função Pública”.

 

O Jornal Tribuna de Macau escreve que o “curso de direito da Universidade de Macau perde reconhecimento automático em Portugal”. A manchete é dedicada à Air Macau, que “quer frota com 24 aviões em 2018”. Noutro título, acerca do futebol local, “Caiu o sonho do Mundial”.

 

O Ponto Final publica uma entrevista ao pinto Ge Zhen, com o título-citação: “A minha pintura é como um livro sem palavras”. Noutro título, “‘Tomar pulso à realidade’ é o pedido de Ho Iat Seng para os deputados”.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Macau Post Daily publica na primeira página uma fotografia com uma série de encapuzados, suspeitos de estarem envolvidos numa rede de prostituição. O resto da capa é ocupado com outro caso de polícia: o homem que foi detido por suspeita de 14 assaltos a automóveis.

 

O Macau Daily Times escreve na manchete que “campanha anticorrupção atinge vice-presidente da PetroChina”. No destaque com imagem, as previsões para a principal indústria do território: “Receitas do jogo devem cair 35 por cento em Março”.

 

O Business Daily dá hoje destaque a nova empresa que quer investir 100 milhões de patacas em Macau: a Lander pretende criar uma empresa de transmissão televisiva de desporto. Em foco também as previsões da Air Macau para este ano.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O South China Morning Post dá grande destaque ao plano da Autoridade do Aeroporto para o financiamento da construção da terceira pista do aeroporto de Hong Kong – o Conselho Legislativo foi deixado de fora, escreve o jornal. Na primeira página, espaço também para os planos de Pequim, que pondera contratar auditorias externas para controlar os investimentos das empresas públicas chinesas no estrangeiro.

 

O Standard tem como tema principal da edição de hoje a terceira pista do aeroporto de Hong Kong. Explica o jornal no título que os passageiros vão pagar uma taxa de 180 dólares de Hong Kong para ajudar a financiar a construção do projecto.

 

O China Daily traz como assunto central o polémico Banco Asiático para o Desenvolvimento de Infra-estruturas, liderado por Pequim, que tem as portas abertas a mais membros. O diário oficial faz também referência à taxa de 180 dólares de Hong Kong que vai ser cobrada aos passageiros do aeroporto de Hong Kong a partir do próximo ano.