Em destaque

22 de Março 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.2311 patacas e 1.1378 dólares norte-americanos.

Revista de imprensa de Macau e Hong Kong (Terça-feira)
Terça, 03/03/2015

O caso da morte de um bebé no Centro Hospitalar Conde de São Januário, a habitação pública em Macau e os apartamentos na Ilha da Montanha, o fundo que Hong Kong pretende criar para lidar com o envelhecimento da população – são alguns dos temas em destaque nos jornais disponíveis hoje nas bancas.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Ou Mun dá conta de um caso de duas mulheres suspeitas de furto em Gongbei. Foram apanhadas pela polícia do outro lado da fronteira, mas não puderam ser detidas preventivamente, explica o jornal, porque uma está grávida e a outra a amamentar o filho. Numa capa dedicada a casos de polícia, o matutino em língua chinesa com maior expressão em Macau faz referência também ao furto de fichas de jogo no valor de 3,1 milhões de dólares de Hong Kong. O caso aconteceu ontem de madrugada num casino no Cotai.

 

O Va Kio reproduz as declarações de Raimundo do Rosário acerca da falta de qualidade de construção da habitação pública. O secretário para os Transportes e Obras Públicas entende que o Instituto de Habitação tem de resolver o problema. Nota ainda no jornal para as dúvidas dos deputados à Assembleia Legislativa acerca do regime do ensino superior.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

A Ou Mun Tin Toi tem estado esta manhã a falar do caso de um cadáver descoberto hoje na praia de Hac Sa: trata-se de uma mulher de passaporte chinês, de acordo com as explicações da Polícia Judiciária. Do alinhamento informativo da emissora faz ainda parte um problema no abastecimento de água na Avenida da Praia Grande, que afectou cinco edifícios.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

“O resto é silêncio”, escreve o Hoje Macau na manchete da edição desta terça-feira, a propósito das explicações que procura o pai de bebé falecido no Centro Hospitalar Conde de São Januário. Noutras chamadas à primeira página, o património, com o título “Há vida para lá do Centro Histórico”; e, na China, “Encontros reais em Pequim ao fim de 30 anos”.

 

“Limitação dos turistas e diversificação económica de Macau estarão na agenda em Pequim”, lê-se no Ponto Final, que noticia também na primeira página que a curta “Uma Ficção Inútil”, de Cheong Kin Macau, foi premiada em Festival de Cinema do Canadá.

 

O Jornal Tribuna de Macau explica nas gordas que “casas e autocarros dominam expectativas para as LAG”. No destaque com imagem, o título “Pedida ‘via verde’ fiscal para importar produtos lusófonos”.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

A morte do bebé no hospital público é hoje o tema central do Macau Daily Times. O pai considera ter havido um “erro na prescrição” e uma “assistência lenta”, que terão provocado a morte ao bebé. O jornal entrega o destaque fotográfico às reuniões em Pequim da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês e da Assembleia Popular Nacional: “Delegados de Macau viajam para Pequim com turismo na agenda”, titula o jornal.

 

A primeira do Macau Post Daily é dedicada também ao caso do bebé de cinco meses que morreu no São Januário: “Pai quer ‘resposta clara’ sobre a morte da criança”, escreve o matutino na manchete. Em foco ainda Fidel Castro que se encontrou com o espião libertado pelos Estados Unidos.

 

O Business Daily deixa hoje um alerta: analisar antes de investir na Ilha da Montanha a propósito das autorizações de pré-venda de apartamentos. O jornal fala ainda do boom de quartos no território: no final de 2014, estavam em construção quatro novos empreendimentos hoteleiros que vão disponibilizar dois mil quartos no Cotai.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O South China Morning Post dedica espaço na manchete aos conselhos dados ao Governo acerca do futuro fundo para fazer face ao envelhecimento da população. Na fotolegenda, o príncipe Williams e Xi Jinping: o Presidente chinês segura um convite da Rainha Isabel II para uma visita a Inglaterra.

 

O China Daily também destaca na imagem a passagem do príncipe Williams pela China. A manchete faz-se com o mesmo tema da do South China, mas noutro ângulo: o jornal oficial explica que o futuro fundo pode implicar para os residentes de Hong Kong um aumento dos impostos e de outras contribuições.

 

O Standard ocupa metade da primeira página com a nomeação de um novo conselheiro de C.Y. Leung para a área da inovação e tecnologia. Em foco também o fundo de 220 mil milhões de dólares de Hong Kong: o jornal escreve que não há garantias acerca do investimento a ser feito.