Em destaque

22 de Janeiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.2217 patacas e 1.1363 dólares norte-americanos.

Ensino superior: Revistos valores das bolsas-empréstimo
Segunda, 02/03/2015

O Governo aumenta os limites do rendimento mensal dos agregados familiares para a concessão de bolsas-empréstimo para o ensino superior. O despacho do secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, publicado hoje em Boletim Oficial, determina, no caso de um agregado de uma pessoa, o valor de 12 mil e 600 patacas, contra as anteriores 9.750. No caso de um agregado com cinco ou mais membros, o valor sobe para 9.160 patacas.

 

Quanto aos montantes mensais das bolsas-empréstimo e de mérito também aumentam entre 200 e 450 patacas, consoante os destinos. A maior subida verifica-se nos montantes a atribuir a quem estuda no Interior da China, passando de 2.350 para 2.800 patacas.

 

O despacho de Alexis Tam fixa ainda o montante do subsídio para alojamento em 2.250 patacas, contra as anteriores 2.100 patacas. 

 

Os valores entram em vigor no próximo ano lectivo, ano em que o Governo estima atribuir 4.500 bolsas- empréstimo. O número de bolsas a atribuir em 2015/2016, segundo um outro despacho do secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, determina ainda a atribuição de 380 bolsas de mérito, 250 bolsas especiais e 35 bolsas extraordinárias.

 

No ano lectivo 2015/2016 vão ainda ser concedidos 700 subsídios de alojamento e 250 subsídios de viagem.

 

O despacho determina ainda que seja “fixado em 50 o número de bolsas-empréstimo a converter em bolsas de mérito, no ano lectivo de 2015/2016”.