Em destaque

26 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.0301 patacas e 1.1139 dólares norte-americanos.

IEEM lança programa sobre zona do Rio das Pérolas
Sábado, 31/01/2015

O Instituto de Estudos Europeus de Macau vai lançar um novo programa este ano. Trata-se de um projecto em parceria com a Universidade de Pequim em Shenzhen e que tem como objecto o direito do comércio internacional, com destaque para a zona do Rio das Pérolas.

 

“Visa abordar o direito do comércio internacional e do investimento. É um programa um bocado diferente daqueles que temos vindo a oferecer até agora nessa matéria, porque está muito centrado na zona do Rio das Pérolas, em todo o potencial, e em todas as mudanças e novidades que têm sido introduzidas em regimes especiais de investimento, nomeadamente na Ilha da Montanha”, adianta José Luís Sales Marques.

 

O presidente do Instituto de Estudos Europeus de Macau conta ainda que, na área das indústrias criativas, a Creative Macau – que pertence ao instituto – também se prepara para um projecto de maior fôlego, na sequência do evento “Image and Sound Challenge”. “Vai dar um passo à frente e vai lançar um festival de som e imagem que, esperamos, seja capaz de atrair ainda mais atenção quer dos produtores de curtas-metragens de Macau, quer do exterior.”

 

Sales Marques é o convidado desta semana do programa Rádio Macau Entrevista, programa em que comenta também o estado das indústrias criativas – considera que tem havido uma evolução, mas alerta que se trata de um sector que terá sempre pouco impacto para a economia global do território. O economista mostra-se contra a possibilidade de as empresas de Macau serem protegidas na negociação dos contratos do jogo.

 

“Não é para isso que ponho o meu esforço e a minha convicção – empresazinhas de indústrias criativas de Macau capazes de fornecer apenas, por favor e porque o Governo obriga, as empresas da área do jogo. Isso não leva a lado algum, é o pior que pode haver do proteccionismo e não devemos ser a favor do proteccionismo. Devemos ser muito ambiciosos”, vinca. “A via da indústria do jogo é boa, mas como mercado aberto, porque isso obriga as empresas de Macau a terem qualidade e a serem capazes de competir com todas as outras do mundo.”

 

A entrevista a José Luís Sales Marques vai para o ar hoje, quando forem 12h.