Em destaque

21 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.21 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Saúde: Governo cria subsídios para sector privado
Quinta, 29/01/2015

O grupo de pessoas que já tinha direito a cuidados de saúde gratuitos no serviço público pode utilizar agora um subsídio do Governo para recorrer às urgências no Hospital Kiang Wu e a consultas externas em serviços de entidades médicas sem fins lucrativos. No primeiro caso o subsídio é no valor de 230 patacas, e no segundo de 110 patacas. O subsídio só pode ser gozado em cada 48 horas, segundo anunciou hoje o director dos Serviços de Saúde, Lei Chin Ion.

 

Este subsídio aplica-se a pessoas que já tinham acesso a serviços gratuitos no serviço público, ou seja, pessoas com 65 anos ou mais, crianças com menos de 10 anos, alunos do ensino regular primário e secundário, grávidas, pessoas com deficiência e com dificuldades económicas, sendo, agora, estendido também a funcionários públicos e familiares, docentes e trabalhadores das escolas e portares de cartão de acesso a cuidados de saúde emitido pelo Hospital Conde de S. Januário.

 

Entre as instituições integradas neste sistema constam a Clínica dos Operários, o Centro médico da Aliança do Povo de Instituição de Macau, o Centro Médico Son Vo da Associação de Nova Juventude Chinesa de Macau e a Clínica da Associação Geral dos Chineses Ultramarinos de Macau.

 

Hoje também os Serviços de Saúde anunciaram uma nova aplicação para telemóveis que permite perceber quantas pessoas aguardam para serem atendidas nas urgências do Hospital Conde S. Januário, no Kiang Wu e nos centros de saúde.

 

Aos jornalistas, Lei Chin Ion, director dos Serviços de Saúde, deu um exemplo das potencialidades desta aplicação: “Se acharem que a lista de espera do S. Januário é muito longa podem decidir ir para os serviços do Hospital Kiang Wu ou à Clínica dos Operários”.

 

A aplicação está para disponível apenas em telemóveis com sistema android. Lei Chin Ion diz que para Iphones é preciso “esperar um pouco mais”.