Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Revista de imprensa de Macau e Hong Kong (Terça-feira)
Terça, 27/01/2015

O compromisso de Pequim em ajudar Macau a desenvolver o sector da medicina tradicional chinesa é um dos temas transversais na imprensa local. Em Hong Kong, os jornais dividem atenções entre a questão da reforma política, o mau desempenho do fundo cambial e também as medidas para o crescimento económico da China.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Ou Mun destaca a notícia de que a China vai ajudar Macau a desenvolver o sector da medicina tradicional chinesa. Este diário também escreve, noutro título, que o lar de idosos de Ka Ho deve ficar concluído em 2016, com 100 camas e com capacidade para prestar serviços a 180 idosos.

 

O Va Kio traz dois casos de polícia na primeira página. Num dos títulos escreve que “jovens de Hong Kong foram detidos por alegada venda de droga em Macau” - nas buscas a uma residência, a Polícia Judiciária encontrou estupefacientes no valor de 700 mil de patacas. Noutro título, o Va Kio dá conta da detenção de uma mulher brasileira, de 28 anos, suspeita de tráfico humano.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

Esta manhã, a Ou Mun Tin Toi diz que um homem de 60 anos morreu num choque entre carros, no túnel das Portas do Cerco. As autoridades suspeitam que o condutor do automóvel que provocou o acidente estava a conduzir sob o efeito de álcool. A rádio acompanha ainda a viagem do Chefe do Executivo a Pequim e noticia que Fernando Chui Sai On teve hoje um encontro com Xu Xianping, o vice-director da Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

O Hoje Macau titula “o papel do dragão”, a propósito da vitória histórica do Syriza na Grécia. Sobre a construção do metro em Macau, o matutino escreve em chamada de primeira página “o construtor arrependido no jogo em que todos perdem”.

 

O Ponto Final escolhe uma afirmação do director da Inspecção e Coordenação de Jogos para manchete: “nada que mereça especial atenção”. Este responsável desvaloriza a suspensão de actividades por 34 promotores junket. Dois analistas do sector acompanham o responsável do Governo. Na primeira, o diário faz ainda referência a uma notícia sobre Daqing, a capital do petróleo, que “vê lucros a arrefecer”.

 

O Jornal Tribuna de Macau destaca a opinião de um professor da Universidade de Macau que defende a “arbitragem nas rendas para ‘aliviar’ tribunais”. No destaque fotofráfico, o JTM remete para uma reportagem sobre a visita do Chefe do Executivo a Pequim: “medicina tradicional na mesa da diversificação”.  

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

“Pequim aponta a medicina tradicional chinesa para a diversificação económica de Macau”, é a manchete do Macau Post – uma história que ocupa quase totalidade da primeira página do matutino. Depois em rodapé, um caso de crime: “polícia detém jogador da China por roubo de um carro”.

 

O Macau Daily Times titula “dinheiro de banco falso da China canalizado para Macau”. O destaque fotográfico é feito com a fotografia de um dos intervenientes da reportagem sobre a comunidade muçulmana local e o título diz “muçulmanos locais contra Islão radical”.

 

A manchete do Business Daily é feita em forma de pergunta: “está o sector da construção civil a arrefecer?”. O jornal fala ainda de um acordo entre o escritório de advogados de Rui Cunha e o escritório Arnaldo Silva & Associados de Cabo Verde. A intenção é alargar a área de serviços as jurisdições de língua portuguesa

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O South China Morning Post escreve, em manchete, “olhar sobre a reforma: muito pouco mudou desde o Occupy”. O jornal refere-se a um estudo que conclui que qualquer medida do Governo para a reforma política vai ser chumbada pelos deputados pró-democratas, sempre que estiver em linha com a posição de Pequim para a eleição do Chefe do Executivo em 2017.

 

O China Daily destaca a promessa do primeiro-ministro chinês. Li Keqiang pretende este ano criar 10 milhões de postos de trabalho. Noutro título, o jornal oficial chinês vira atenções para Hong Kong, mais propriamente para a ATV que recebeu várias propostas para o concurso de compra de 10,75 por cento das acções da estação televisiva. 

 

O Standard foca a notícia das grandes perdas do fundo cambial de Hong Kong. Os ganhos caíram 46 por cento para 43,6 mil milhões de dólares de Hong Kong no ano passado – o que significa os piores resultados desde 2011. O presidente da Autoridade Monetária espera que 2015 seja ainda um ano “mais difícil e complexo” para este fundo cambial.