Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Macau e Governo Central querem mais divulgação do CEPA
Segunda, 26/01/2015

Macau e as autoridades do Governo Central comprometem-se a uma maior divulgação dos acordos suplementares do CEPA. É uma das ideias que saiu do encontro que o Chefe do Executivo manteve hoje no Ministério do Comércio, em Pequim.

 

A cooperação com os vizinhos, sobretudo os da região do Delta do Rio das Pérolas, é a grande tónica desta visita de Chui Sai On à capital.

 

O Chefe do Executivo e os responsáveis do Ministério do Comércio entendem que é preciso sensibilizar os empresários para os caminhos que o CEPA abre. Só assim estará mais perto a tão desejada diversificação da economia, que também passa pela medicina tradicional chinesa. Chui Sai On reuniu-se hoje ainda com a autoridade estatal para o sector.

 

A ocasião foi aproveitada para Macau agradecer o apoio dado ao território ao longo dos últimos 15 anos no desenvolvimento desta área, em particular na formação de quadros, uma colaboração que vai continuar através dos pólos que estão a ser construídos nos parques industriais da Ilha da Montanha, e na zona económica de Nansha.

 

As autoridades garantem que a medicina tradicional chinesa faz parte dos principais planos do Governo Central para o país e Macau não foge à regra.

 

O entendimento geral é que na rota de uma menor dependência do jogo, a medicina tradicional chinesa possa ser uma mais-valia para Macau, não só na área da saúde, mas também para a economia.

 

Nesta reunião, os países lusófonos foram também tema de conversa. É só para o ano que se realiza, mas a quinta conferência ministerial do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa já está no pensamento das autoridades em Pequim.

 

O tema foi discutido ao pequeno-almoço por Fernando Chui Sai On,  o ministro e a vice-ministra do Comércio.

 

Os jornalistas não foram autorizados a marcar presença, nem sequer para recolher imagens, mas pelo resumo que foi feito pelo Gabinete de Comunicação Social sabe-se que o objectivo é aproveitar melhor as oportunidades concedidas pelo Fórum.