Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Revista de imprensa de Macau e Hong Kong (Sexta-feira)
Sexta, 23/01/2015

Acidentes, casos de polícia e as obras do metro ligeiro – são alguns dos temas em foco nos jornais disponíveis hoje nas bancas.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Ou Mun dá grande destaque ao caso de um homem de 25 anos acusado de furto. O suspeito, natural de Guangxi, terá praticado vários delitos durante os últimos meses. O alegado carteirista foi detido pela Polícia Judiciária ontem à noite. O jornal faz ainda referência a um acidente em que três pessoas ficaram feridas – uma delas, uma mulher que ia ao volante, estaria a conduzir sob o efeito de álcool.

 

O Va Kio também dá conta deste acidente na zona do Reservatório. Na manchete, um caso de polícia: três pessoas foram detidas por se suspeitar que atiraram tinta vermelha para uma porta. Um dos suspeitos terá confessado que estavam a tentar cobrar uma dívida de dois milhões de patacas.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

A emissora teve hoje de manhã em estúdio o deputado Pereira Coutinho, que deixou críticas ao processo para a construção do metro ligeiro. O deputado diz que não estão a ser protegidos os interesses da RAEM. A Ou Mun Tin Toi tem estado a dar conta de um acidente entre um camião e dois automóveis na Rua dos Pescadores, junto ao edifício Marbella. Cinco pessoas ficaram feridas e foram transferidas para o hospital.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

“RAEM com ‘pouca competitividade’”, lê-se nas parangonas do Jornal Tribuna de Macau, que reproduz assim a avaliação feita pelo académico Chen Guanghan. No destaque com fotografia, o dia das carreiras, com o título “A vantagem de saber português”.

 

O Hoje Macau publica uma reportagem sobre o alojamento económico, com o título “O lugar do outro”. Destaque no topo da primeira página para António Conceição Júnior, que diz que “Esta cidade ainda não é um corpo identitário”.

 

“Declarações de Fong Chi Keong condenadas pelas Nações Unidas”, escreve o Ponto Final nas gordas. Noutra chamada à capa, “Governo vai suprimir demandas financeiras das organizações sociais”.

 

O Clarim reserva a manchete para o Papa: “Em nome dos pobres – Francisco levou mensagem de esperança e pediu ao clero para estar junto dos mais desfavorecidos”. Noutro destaque, a possibilidade de uma “visita do Santo Padre à República Popular da China”, com o título “Falta encontrar o momento certo”.

 

O semanário Plataforma Macau conta que “Petróleo agita lusofonia com pouco impacto em Macau”. Noutro destaque, o jogo: “Ano novo, vida nova”.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Macau Daily Times dedica o destaque fotográfico ao desempenho económico de Macau que foi o melhor entre várias cidades mundiais. A manchete é dedicada ao metro: “Autorizadas obras 24 horas por dia”, adianta o jornal.

 

O metro é também o tema em foco no Business Daily, mas dando voz a um dos construtores. O Top Builder Group, responsável por três projectos, acusa o Governo de ser o responsável pelos atrasos do projecto. Noutro destaque, a Jones Long LaSalle espera obter licença para vender propriedades da Ilha da Montanha em Macau e em Hong Kong.

 

“Macau é número 1 no desempenho económico entre várias cidades mundiais, indica estudo”, escreve o Macau Post Daily. Também com direito a chamada de capa, a história de um drone que carregava droga e que caiu perto da fronteira entre os Estados Unidos e o México.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O China Daily puxa para manchete as declarações do primeiro-ministro chinês em Davos: Li Keqiang diz que “a China está pronta para enfrentar desafios”. Em foco também a notícia sobre a contratação de instituições para avaliar os serviços providenciados pelas autoridades durante o Festival da Primavera, altura em que milhares de pessoas se deslocam na China.

 

O South China Morning Post dá grande destaque ao aviso de académicos preocupados com a possibilidade de serem construídos milhares de apartamentos na ilha de Hong Kong: a ideia pode levar ao aumento da temperatura e colocar a saúde pública em causa. O jornal reserva ainda espaço na capa para o terrorismo: mais de 300 cidadãos chineses utilizaram a Malásia em trânsito para o Médio Oriente, para se juntarem ao Estado Islâmico.

 

O Standard tem como notícia principal da edição de hoje um assunto da Europa: o Banco Central Europeu vai comprar mensalmente 60 mil milhões de euros de dívida pública e privada até Setembro de 2016.