Em destaque

21 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.21 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Leonel Alves não está satisfeito com o trabalho da AL
Sábado, 17/01/2015

Leonel Alves não está satisfeito com a qualidade do trabalho desenvolvido pela Assembleia Legislativa. “A AL tem de se apetrechar melhor para as tarefas que tem pela frente. Não basta haver duas horas de intervenções antes da ordem do dia. Não basta haver interpelações para o Governo responder seis ou dez meses depois. Os debates na generalidade têm de deixar de ser uma espécie de conversa de café”, disse no Rádio Macau Entrevista.

 

Os trabalhos ao nível das comissões especializadas, adiantou, “não estão maus, são mais à porta fechada e os assuntos são discutidos de uma forma diferente, já pode haver uma componente técnica maior na discussão dos diversos assuntos. Portanto, algo tem de ser modificado, a própria qualidade, o próprio nível de intervenção dos deputados e um apoio jurídico substancial para que, de modo geral, os trabalhos sejam melhores na Assembleia Legislativa”.

 

Com 30 anos de experiência na Assembleia Legislativa – é deputado desde 1984 -, Leonel Alves reafirma críticas à actuação de Ho Iat Seng.  “Parece-me que o presidente não está disposto a assumir uma posição activa e tem deixado as coisas correr, até ao limite dos limites. Em casos de situação muito, muito extrema é que vejo o presidente a actuar. Isto tem que ver com a cultura chinesa, com a personalidade das pessoas. Quando olhamos para o regimento da AL é de inspiração e matriz portuguesas. Como um presidente interpreta o regimento, pode haver divergências, portanto, aquilo que estamos habituados a ver no Parlamento europeu provavelmente não acontece com frequência no Parlamento chinês e aqui em Macau na AL”, afirmou no Rádio Macau Entrevista.“Muitas vezes o presidente devia dizer ao deputado que aquilo que está a dizer está fora da ordem do dia. Às vezes está-se a discutir o diploma A e há intervenções que nada têm que ver com esse diploma A. Portanto, é neste sentido que acho que o presidente deve ser mais actuante, tornando os plenários mais eficazes e menos morosos”, preconizou.

 

A entrevista com Leonel Alves, emitida ao meio dia pela Rádio Macau,  pode ser ouvida neste site ou segunda-feira às 10,30 horas.