Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

Portugueses vão continuar a receber “discriminação positiva”
Quarta, 14/01/2015

Os portugueses que queiram fixar residência em Macau vão continuar a receber um tratamento de “discriminação positiva” por parte das autoridades, afirmou à Rádio Macau o secretário de Estado das Comunidades portuguesas, José Cesário, após um encontro com Wong Sio Chak, secretário para a Segurança.

 

O governante português destacou que “o secretário para a Segurança manifestou total disponibilidade para colaborar connosco, para colaborar com o consulado-geral no sentido de resolver situações mais delicadas que possam existir e, sobretudo, dar continuidade ao processo de concessão de autorização de residências que, nos últimos anos, já atingiram as 1600 aqui em Macau. Estamos a falar de um número muito significativo e estamos firmemente convencidos que a intenção manifestada corresponde à realidade, ou seja, ter relativamente aos portugueses aquele tratamento que consideramos ser de discriminação positiva que desde sempre foi a intenção das autoridades do território”.

 

Antes de ter estado reunido com Wong Sio Chak, o secretário de Estado português teve encontros com Raimundo do Rosário, secretário para os Transportes e Obras Públicas, e também com Alexis Tam, secretário para os Assuntos Sociais e Cultura.

 

Cesário diz que fez questão de mostrar a disponibilidade de Portugal para ajudar ao desenvolvimento das relações com Macau: “Foram três encontros em que fiz questão de visitá-los para lhes desejar as maiores felicidades e colocar o governo português à sua disposição para tudo aquilo que entenderem importante para o desenvolvimento de Macau e, obviamente, das relações com a comunidade portuguesa que aqui está sedeada”.

 

Nestas declarações à Rádio Macau, Cesário falou também sobre os “vistos gold”. O governante diz que a investigação sobre alegada corrupção envolvendo altos quadros da administração não teve um impacto negativo na procura chinesa: “Tenho olhado para os números e os números das aprovações continuam a ser muito elevados. Há, aliás, muitos processos ainda pendentes. É bom dizer que houve sempre um escrutínio muito aturado, muito sério relativamente às mais variadas situações”. Cesário acrescentou que o mecanismo “continua a ser muito utilizado para a captação de investimentos em Portugal”.