Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Charlie Hebdo: Medo não é resposta, diz Rodrigo de Matos
Quinta, 08/01/2015

“Não pode haver limites à liberdade de expressão”, defende o cartoonista Rodrigo de Matos, em reacção ao atentado terrorista contra a revista satírica Charlie Hebdo em Paris, que fez 12 vítimas mortais. Para o colaborador dos jornais Expresso, Ponto Final e Macau Daily Times, a resposta ao ataque não pode ser de medo. “Não pode haver limites [à liberdade de expressão] principalmente após uma ocorrência destas. Se este atentado viesse desencadear todo um repensar da forma como fazemos as coisas, então seria sinal de que teria resultado, do ponto de vista de quem perpetrou o ataque”, aponta Rodrigo de Matos.

 

O cartoonista lembra que há sempre alguém que se sente ofendido com as matérias tratadas neste tipo de trabalho. Mas a indignação, vinca, deve ser contra o fanatismo. “Qualquer coisa que se possa fazer, haverá sempre alguém sem sentido de humor que se vai sentir ofendido e atingido pela piada. Se formos pensar nisso, então deixamos de fazer o que quer que seja – é pôr em causa a essência do nosso trabalho. Quem está errado em toda esta situação é o indivíduo fanático religioso. O fanatismo religioso é que deve ser o alvo de toda a nossa indignação, nunca o humorista e as pessoas que fazem piadas com o mundo e com as coisas que se passam no mundo.”