Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

Rita Santos deixa Fórum Macau em Março
Quarta, 07/01/2015

Rita Santos vai deixar em Março o cargo de secretária-geral adjunta do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Fórum Macau), depois de Lionel Leong, secretário para a Economia e Finanças, ter aceitado o pedido de aposentação da responsável.

 

Em declarações à Rádio Macau, Rita Santos explicou que “como no dia 3 de Março é a data da renovação do meu cargo de coordenadora do Gabinete de Apoio [do secretariado permanente do Fórum Macau], decidi requerer a aposentação e também pedir a rescisão do cargo de secretária-geral adjunta. Acho que, depois de tantos anos de serviço, preciso de me dedicar à família”.

 

A possibilidade de Rita Santos deixar o Fórum Macau já tinha sido avançada pelo jornal Hoje Macau.

 

Nestas declarações à Rádio Macau, Rita Santos afirmou que, neste momento, “o mais importante é ver o meu neto nascer”.

 

Sem ser conhecido o nome que vai suceder a Rita Santos na estrutura do Fórum Macau, a ainda secretária-geral adjunta faz um balanço positivo da instituição da qual faz parte desde que foi criada, em 2003.

 

Rita Santos destaca o reconhecimento que o Fórum Macau deu à comunidade que fala português: “Ainda me lembro que, em 2003, ou antes dessa data, muitos de nós que optámos por ficar e trabalhar no Governo da RAEM estávamos um bocado preocupados sobre se ainda poderíamos ser reconhecidos ou não no nosso contributo, não só na função pública , mas também em termos da vida económica e social. Após a criação do Fórum Macau, e com o reconhecimento da República Popular da China e dos países de língua portuguesa, a posição dos macaenses, dos portugueses e dos que vieram dos países de língua portuguesa está mais elevada”.

 

Rita Santos destaca também a contribuição do Fórum para o reforço da importância da língua portuguesa.

 

Quanto ao futuro da instituição, Rita Santos defende que um maior envolvimento dos empresários de Macau pode contribuir para uma maior diversificação económica, o grande objetivo do Governo: “Espero que o Fórum Macau não se limite apenas a nível governamental. É preciso que haja mais concretização da parte empresarial. Acho que os empresários de Macau precisam aproveitar mais esse papel de plataforma para poder diversificar a sua economia. Espero também que os filhos dos macaenses e os filhos das pessoas dos países de língua portuguesa possam aproveitar também esse âmbito de diversificação e de desenvolvimento dos seus negócios”.

 

Quanto à eventual repetição de uma candidatura ao lugar de deputada, Rita Santos diz que “não pensei ainda nisso”, mas também que “essa hipótese não está colocada de fora”.