Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Sexta-feira)
Sexta, 28/11/2014

A morte de um trabalhador de uma obra em Seac Pai Van faz hoje as primeiras páginas da imprensa chinesa de Macau. Já quanto aos jornais portugueses, um dos temas em comum é Vincent Piket, representante da Comissão Europeia em Hong Kong e Macau, que esteve, ontem, no território.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

O Va Kio destaca a morte de um homem em Seac Pai Van. Trata-se de um trabalhador não residente, oriundo da China, que foi atingido por um objecto que caiu de uma grua.

 

O Ou Mun puxa igualmente para manchete a morte do trabalhador numa construção em Seac Pai Vai. O acidente aconteceu ontem depois da hora de almoço.

 

Canal Chinês da Rádio Macau

Na Rádio Macau em língua chinesa fala-se ainda da concorrência no mercado das telecomunicações. Os Serviços de Regulação de Telecomunicações dizem que a entrada no mercado da MTEL vai ajudar o sector.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

“Alargamento de fronteiras para estimular economia” titula o Plataforma. O semanário adianta ainda que “IFT [Instituto de Formação Turística] quer dobrar número de licenciados nos próximos dez anos”. Esta sexta-feira, destaque igualmente para os raptos em Maputo, capital de Moçambique, que “assustam comunidade chinesa”.

 

O Clarim escreve “ Sorteio evitaria irregularidades” – deputado Vong Hin Fai contra a licitação de alvarás de táxis. Noutra chamada de capa lê-se “Criação devastada pelo homem”: Papa Francisco na solenidade de todos os santos.

 

O Ponto Final puxa para a primeira página o pedido feito por Bruxelas a Macau para a criação de uma lei de concorrência. Vincent Piket, o representante da Comissão Europeia em Hong Kong e Macau, “esteve reunido em Julho com o Executivo e prometeu apoio na preparação da nova legislação”, adianta o matutino. Em foco ainda Lionel Leong que “transmite participações offshore”.

 

“À espera da salvação” titula o Hoje Macau. Trata-se de uma reportagem sobre o tempo que crianças em lares esperam por uma “decisão que lhes trace um destino”. No topo da página lê-se “admirável mundo velho” – um trabalho sobre bairros antigos.

 

O Jornal Tribuna de Macau escreve em manchete “UE pressiona Macau para reforçar transparência”. O Chefe do Gabinete da União Europeia em Hong Kong e Macau esteve ontem em Macau e “insistiu na necessidade de se avançar em matérias como a lei da concorrência, o acordo de compras públicas da Organização Mundial do Comércio e a propriedade intelectual”. Em foco ainda “Misericórdias promovem ‘reencontro’ com História”.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

“Taxista cobra 1.500 dólares de Hong Kong por uma viagem a turista japonesa” titula o Macau Post Daily. O caso foi revelado pela Polícia Judiciária: aconteceu na passada segunda-feira e a mulher fazia percurso entre a Torre de Macau e um hotel no Cotai. Em foco ainda Pelé - o antigo jogador brasileiro está em unidade de cuidados especiais, depois do estado de saúde ter piorado, segundo a informação disponibilizada pelo hospital.

 

O Business Daily escreve em manchete “sem pressa para ligação”. As bolsas de Hong Kong e Xangai estão interligadas e, segundo o jornal, devem ser abertas portas aos investidores de Macau para, via Hong Kong, comprar acções na China. O jornal económico destaca ainda a concorrência no sector das telecomunicações: a MTEL diz que vai oferecer serviços mais baratos, a CTM diz que a concorrência é positiva.

 

O Macau Daily Times aborda o interesse de associações de Myanmar de trazer cinco mil trabalhadores por ano para Macau. O jornal conta também que a actual situação de Macau se está a reflectir em Las Vegas: chineses estão a fugir das mesas de jogo face à luta anti-corrupção na China, escreve o matutino.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

O South China Morning Post centra-se nas intenções dos estudantes que planeiam aumentar o tom dos protestos. O próximo alvo é, dizem, os edifícios governamentais. Ainda em foco as mudanças climáticas e os apelos feitos aos maiores países para pararem de apontar o dedo e tomarem decisões em Paris. A capital francesa acolhe no próximo ano a cimeira mundial sobre o clima.

 

No China Daily o destaque vai para a cooperação entre a China e os Estados Unidos na luta contra o “terrorismo online”. O jornal dá também conta que os residentes de Mong Kok, em Hong Kong, estão “satisfeitos com o regresso à normalidade” depois de terem sido retiradas as barricadas do movimento Occupy.