Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Neto Valente defende novas regras para contratar a Portugal
Sábado, 22/11/2014

O presidente da Associação dos Advogados admite que as restrições fixadas para a vinda de profissionais portugueses devem ser mudadas e coloca a possibilidade de levar o assunto a nova consulta junto da classe.

 

“Pessoalmente acho que sim. Foi-se longe de mais nas restrições. A actual direcção ainda está a pensar revisitar este assunto numa outra assembleia-geral. Estou convencido de que faz falta gente. No meu escritório tenho falta de advogados com experiência”, diz Jorge Neto Valente, no programa Rádio Macau Entrevista.

 

Macau tem actualmente 304 advogados e 111 estagiários, sendo que 61 estão já em condições de fazer os exames finais e há já 30 candidatos ao exame de admissão.

 

Depois da suspensão do protocolo com a Ordem dos Advogados de Portugal, os profissionais de Macau aprovaram uma série de medidas que devem ser aplicadas no futuro, de modo a permitir novos recrutamentos em Portugal. Neto Valente reconhece que Macau precisa de advogados com experiência.

 

“A necessidade de juristas bons é cada vez maior, não vai diminuir. Hoje há mais advogados a trabalhar em empresas grandes, nomeadamente nos casinos ou para os casinos. Há muita necessidade de juristas que saibam do sistema de Macau”, aponta.

 

O presidente da Associação dos Advogados lança ainda fortes críticas à Administração de Macau, ao afirmar que são contratados profissionais que nada sabem do Direito de Macau. Este comportamento, diz Neto Valente, pode contribuir para “a destruição do sistema jurídico” local.