Em destaque

21 de Março 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.2742 patacas e 1.1424 dólares norte-americanos.

Yuan: Autoridade Monetária de Macau quer fim das restrições
Quarta, 12/11/2014

A Autoridade Monetária de Macau (AMCM) quer levantar as restrições sobre o limite e âmbito das operações em renminbi. A ideia é defendida hoje, em comunicado, no mesmo dia em que Hong Kong anuncia que vai acabar com essas restrições já na próxima semana. No entanto, o organismo da RAEM não adianta uma data para a eventual introdução da medida em Macau.

 

A AMCM promete continuar a “estimular o desenvolvimento das operações em renminbi, em Macau”, “atendendo à situação real e às necessidades” do território. Em comunicado, o organismo presidido por Anselmo Teng acrescenta que vai “envidar todos os esforços, junto do Banco Popular da China, com o objectivo de conseguir o levantamento de restrições sobre o limite e âmbito das operações em renminbi”, “de modo a incentivar o progresso e o avanço do sector financeiro da RAEM”.

 

Tendo em conta que Hong Kong anunciou esta quarta-feira que vai levantar as restrições relativas às transacções em renminbi já a partir da próxima segunda-feira, a Rádio Macau procurou saber quando é que a AMCM espera vir a introduzir uma medida do género. O organismo, no entanto, disse não ter mais informações a acrescentar ao comunicado.

 

Na nota divulgada pelo Gabinete de Comunicação Social, a Autoridade Monetária começa por explicar que as operações realizadas na moeda chinesa pelos bancos de Macau têm evoluído de forma “regular e estável”. Até Setembro, lembra o organismo, os depósitos em renminbi junto dos bancos locais ascenderam a 118,7 mil milhões de yuan. Já o valor acumulado da regularização das transacções na moeda chinesa, no comércio transfronteiriço, fixou-se nos 465 mil milhões.

 

A AMCM lembra que as operações em renminbi realizadas pelos bancos da RAEM são processadas ao abrigo de um acordo celebrado com o Banco Popular da China. O protocolo, explica o organismo, prevê disposições sobre o limite de conversão, isto é, o limite de renminbi “nas operações individualizadas, por pessoa e por transacção, para conversão em numerário” – nestes casos, o montante máximo fixado não pode ultrapassar o equivalente a 20 mil renminbi. O mesmo limite aplica-se no caso da “conversão através das contas, por pessoa e em cada dia”.