Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

Problemas de trânsito dominam preocupações da população
Segunda, 10/11/2014

Os problemas de trânsito são a principal preocupação da população de Macau, a avaliar pelas opiniões recolhidas durante a campanha eleitoral de Chui Sai On para o segundo mandato como Chefe do Executivo. É o que mostra a análise feita pelo Gabinete de Estudo das Políticas do Governo, incumbido de tratar as mais de 120 mil opiniões e sugestões recebidas na sede de candidatura de Chui Sai On ao longo dos 14 dias de campanha eleitoral.

 

Das 111.246 opiniões admitidas como válidas, 87.425, ou quase 80 por cento, elegem como preocupação os assuntos de tráfego. No segundo lugar aparece a habitação, referida em 75.068 opiniões, seguida da saúde (48.456), dos assuntos económicos (44.488) e dos assuntos sociais e segurança social (43.480).

 

Os assuntos jurídicos e políticos aparecem no sétimo lugar, tendo sido mencionados em 21.320 opiniões. Segundo o Gabinete de Estudo, que hoje divulgou os resultados da análise, foi manifestado pelos residentes que deve promover-se "o desenvolvimento estável do sistema político" e "aperfeiçoar de forma activa os diplomas legais". Destaca-se, ainda, que "algumas opiniões sugerem o sufrágio universal do Chefe do Executivo", embora, na conferência de imprensa, os responsáveis pelo gabinete não tenham quantificado as opiniões pró-democracia.

 

Na lista das 18 áreas governativas compilada pelo Gabinete de Estudo, as cinco que suscitam menos preocupações são a formação de quadros qualificados (4313), a protecção ambiental (2547), o planeamento urbanístico (1686), a construção de uma sociedade incorrupta (836), e, no último lugar, a segurança, apenas destacada em 32 opiniões enviadas à sede de campanha do candidato único a Chefe do Executivo.

 

Na maioria, as opiniões foram manifestadas por escrito e por mais de uma centena de associações e outras entidades.

 

O coordenador do Gabinete de Estudo das Políticas do Governo, Lao Pun Lap, considera que “o número muito elevado” de opiniões apresentadas, “abrangendo diferentes sectores e de diferentes camadas sociais”, demonstra que “a sociedade, em geral, dá muita importância aos assuntos de Macau”.

 

No que diz respeito aos assuntos de tráfego, Lao Pun Lap explicou, em conferência de imprensa, que “a população está mais preocupada em saber quando é que o Governo vai concretizar a política de primazia dos transportes públicos, limitar o aumento do número de viaturas e melhorar a gestão rodoviária em geral”.

 

Quanto à habitação, o Gabinete de Estudo destaca que a população se mostra interessada na criação de “um mecanismo eficiente de garantia de habitação de longo prazo”, bem como em “aperfeiçoar o planeamento e empreendimento urbanístico”.

 

De acordo com Lao Pun Lap, a análise das opiniões recolhidas que versavam sobre a habitação deixa claro que as preocupações são transversais: “Seja a classe média ou inferior, ou a população jovem, estão preocupados, sobretudo, com a oferta de habitações e as políticas do controlo dos preços”.

 

No entanto, apesar de os números mostrarem dezenas de milhares de pessoas a elegerem o tráfego, a habitação e a saúde como as três maiores preocupações, o consultor principal do Gabinete de Estudo afasta a ideia de que o Governo falhou naquelas áreas. “Pelo contrário”, diz Mi Jian: “Não acho que foi um falhanço na acção governativa e, por isso, a população manifestou tantas opiniões nestes três campos. Pelo contrário. O terceiro mandato deu muita importância à estabilidade da economia, isto é, a trabalhar mais nas áreas do tráfego, da habitação e cuidados médicos e de saúde”.

 

No relatório da análise das opiniões recolhidas durante a campanha eleitoral de Chui Sai On, o Gabinete de Estudo das Políticas do Governo apresenta três conclusões: “O programa político de candidatura de Chui Sai On aproxima-se dos temas que interessam aos residentes”, “os residentes manifestam grande expectativa e apoio”, e “a população espera que o novo mandato do Governo satisfaça as suas expectativas e solicitações”.