Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Deputados voltam a criticar atrasos no metro ligeiro
Sexta, 30/05/2014

Os atrasos no metro ligeiro dominaram a primeira parte da sessão de interpelações ao Governo, esta tarde, na Assembleia Legislativa. Ng Kuok Cheong exigiu uma estimativa sobre os custos das obras.

 

“O preço estimado para a primeira fase do metro ligeiro passou de 7,5 mil milhões, em 2009, para 11 mil milhões, em 2011. Mas, agora, só a aquisição de comboios e o segmento da Taipa já ultrapassam os 11 mil milhões e nem há uma estimativa do custo total para a primeira fase do metro ligeiro”, expôs.

 

Au Kam San também foi muito crítico e lembrou o projecto do metro, na região vizinha de Hong Kong. “Houve atrasos, excesso de despesa, derrapagens e os dirigentes estão muito ocupados e quase a demitirem-se. Em Macau, não temos medo. Nem fixámos uma calendarização. Por isso, não se fala em atrasos. E como não há orçamento, também não se fala em excesso de orçamento”, disse o deputado.

 

O secretário para os Transportes e Obras Públicas, Lau Si Io, voltou a referir que o segmento da Taipa deve estar pronto em 2016. Quanto ao orçamento previsto para a conclusão de todo o projecto, não avançou números.

 

“Há situações que ainda não são conhecidas. É por isso que é impossível apresentar um orçamento”, explicou Lau Si Io, antes de acrescentar que “muitos factores” só são conhecidos “conceptualmente”.

 

Os deputados José Pereira Coutinho e Ho Ion Sang não ficaram satisfeitos com as respostas do secretário. Enquanto o primeiro pediu as “razões” para todos os atrasos, o segundo colocou em causa o prazo dado por Lau Si Io para a conclusão do segmento da Taipa.