Em destaque

22 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Maioria dos croupiers quer salas de fumo
Segunda, 26/05/2014

Um inquérito da Universidade de Macau, encomendado pelo Governo, demonstra que mais de 90 por cento dos croupiers estão a favor das salas de fumo fechadas para fumadores. Mas o estudo demonstra ainda que quase 60 por cento dos croupiers não desejam trabalhar em salas destinadas a fumadores.

 

O estudo diz ainda que 58,4 por cento dos croupiers não querem trabalhar em salas destinadas a fumadores, ou seja, em salas VIP, que ficam de fora das medidas do Governo para restringir ainda mais o tabaco nos casinos. Ainda assim, 12,7 por cento deles admitem ponderar a decisão de trabalhar nessas salas, mas mediante um subsídio extra. Do lado contrário, há uma percentagem de 37 por cento que não se importam de trabalhar em ambientes de fumo.

 

Os resultados do inquérito demonstram, por outro lado, que a esmagadora maioria – 90,4 por cento - apoia a criação de salas de fumo. Dos 1031 entrevistados apenas 7,9 por cento disseram estar contra a criação de espaços fechados exclusivamente para fumadores.

 

O estudo demonstra também que os croupiers têm alguma descrença quanto aos efeitos das medidas do Governo, já que 45 por cento acham que o ambiente não vai tornar-se muito diferente. Mesmo assim, são 36 por cento os que acreditam que a qualidade do ar pode melhorar ligeiramente.

 

O inquérito da Universidade de Macau decorreu no dia 17 de Maio, apenas dois dias depois de o Executivo ter avançado com a data para a implementação das salas, 6 de Outubro deste ano. Analisando os resultados, os académicos dizem que, de uma forma geral, 50 por cento dos croupiers podem vir a trabalhar nas zonas para fumadores.