Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Regime de garantias provoca a maior manifestação desde 1999
Domingo, 25/05/2014

A maior desde 1999. Entre 15 a 20 mil pessoas terão participado hoje na manifestação contra o regime de garantias dos titulares dos principais cargos, acção de protesto que decorreu sem incidentes.

 

As contas são da organização. Em declarações aos jornalistas, Jason Chao, líder da associação Consciência de Macau, foi taxativo: “Temos 20 mil pessoas. É a maior manifestação desde a transferência de Administração em 1999”.

 

No cortejo que encheu as ruas entre o Tap Seac e o Lago Nam Van destacavam-se os jovens. Para Ng Kuok Cheong, Macau tem uma “nova geração com mais habilitações e com uma maior educação cívica”. Há mudanças e o Governo deve acompanhá-las, diz o deputado: “Espero que o Chefe do Executivo descubra que Macau está a mudar e por isso as suas políticas também devem mudar”.

 

Uma das mudanças que Ng Kuok Cheong e os milhares que se manifestaram pedem é que a proposta de lei sobre o regime de garantias seja retirada.

 

Para o deputado Pereira Coutinho, que também se juntou ao protesto com o seu número dois, o deputado Leong Veng Chai, é essa a conclusão que Chui Sai On deve reter: “As pessoas estão revoltadas e eu acho que o Governo e o Chefe do Executivo devem tirar as devidas ilações desta mega-manifestação”.

 

Os manifestantes acusam o Governo de legislar em proveito próprio e além das compensações financeiras também merece oposição o facto de o regime garantir imunidade ao Chefe do Executivo relativamente a eventuais crimes cometidos durante o exercício do mandato, como notou Wong, um dos muitos jovens que saiu à rua em protesto: “Não estamos apenas contra as compensações financeiras, mas também contra o facto de o Chefe do Executivo ficar imune a acusações em casos criminais durante o mandato. Esta questão é muito séria”.

 

O protesto desta tarde teve uma última paragem no Jardim da Penha, zona das residências dos que vão beneficiar do regime de garantias para os titulares dos principais cargos.

 

Além da manifestação contra esta proposta de lei, hoje houve também uma a favor organizada pela Associação de Conterrâneos de Jiangmen, que tem como vice-presidente o deputado Mak Soi Kun. Terão participado nesta acção cerca de mil pessoas.

 

O regime de garantias para os titulares dos principais cargos é esperado ser aprovado na especialidade na próxima terça-feira, dia para o qual já está marcado novo protesto junto à Assembleia Legislativa.