Em destaque

22 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Cavaco considera Macau “estratégica” para diplomacia lusa
Sábado, 17/05/2014

Cavaco Silva defendeu, esta tarde, que Macau desempenha um papel “estratégico” para a diplomacia portuguesa. Numa conferência de imprensa conjunta com o Chefe do Executivo, após a assinatura do Protocolo de alteração ao Acordo Quadro de Cooperação entre Portugal e China, o presidente destacou que a sua presença no território serve “para reafirmar de forma muito clara e inequívoca que as relações especiais com Macau constituem uma orientação estratégica da política externa portuguesa”.

 

Nesse sentido, Cavaco Silva defendeu o reforço dos laços entre as duas partes, na área dos negócios, mas também da promoção da língua portuguesa: “Tivemos oportunidade de discutir o aprofundamento das relações entre Portugal e Macau no domínio empresarial, mas também no domínio científico e no ensino da língua portuguesa. Quero agradecer ao Chefe do Executivo o empenho que ele tem colocado na promoção da língua portuguesa nesta parte do mundo”.

 

Do lado de Macau, Chui Sai On manifestou abertura para estreitar a cooperação com Portugal: “Fizemos uma retrospectiva em relação aos assuntos que lidámos no passado e acordámos em estreitar os laços de cooperação para o futuro. Vamos continuar a consolidar as nossas bases de cooperação e de desenvolvimento comum”.

 

Nesta cooperação, Cavaco Silva identifica áreas específicas onde os laços podem ser estreitados, como as energias renováveis: “Já fizemos muito, mas podemos fazer ainda muito mais. Nas conversações que tive com o Chefe do Executivo apontámos linhas de cooperação mais profundas para o futuro. Há imensas áreas que podemos explorar no domínio das energias renováveis, por exemplo, uma matéria que já discutimos em Pequim. Podemos pensar na chamada economia verde, melhorar a qualidade de vida das populações nos meios urbanos, e outras áreas. As condições são propícias”.

 

Para isso, Cavaco quer que seja mais fácil viajar entre Macau e Lisboa: “Temos que facilitar ainda mais os contactos entre os chineses, em geral, e a população de Macau com os portugueses. Gostaríamos que fosse mais fácil viajar de Macau até Lisboa. Estou convencido que é importante estabelecer contactos mais fáceis entre empresários e investidores de Macau e Portugal”.

 

Já sobre o reforço do ensino da língua portuguesa, o Chefe do Executivo Chui Sai On destacou a aposta nos quadros bilingues e a necessidade de concertação com a China para avançar com novos projectos: “Nós vamos continuar a reforçar o ensino da língua portuguesa. Para além da formação de professores, temos que continuar a formar bilingues profissionais e ainda temos que colaborar com o Governo Central na divulgação da língua. Sabemos que a língua portuguesa não é só uma língua de comunicação, mas também uma ferramenta muito importante em todo o mundo, daí que temos todas as condições para avançar com novos projectos. Mas claro que é muito importante termos o apoio do presidente português. É um projecto de cooperação que o Governo de Macau vai materializar. É um projecto encomendado pelo Governo Central e temos confiança de que Macau vai ser uma boa base para a divulgação da língua portuguesa”.