Em destaque

25 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,0449 patacas e 1,1156 dólares norte-americanos.

 

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Sexta-feira)
Sexta, 16/05/2014

As acusações da International Union of Operating Engineers à Wynn, a visita de Cavaco Silva à China, os ataques no Vietname a cidadãos chineses – são alguns dos temas dos jornais disponíveis nesta sexta-feira nas bancas do território.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Va Kio puxa para manchete o maior caso de apreensão de droga do ano pela Polícia Judiciária – mais de três quilos de ice. As autoridades detiveram um norte-americano e uma mulher da província de Hunan.

 

Já o Ou Mun opta por destacar a proibição do consumo de tabaco nas salas de jogo dos casinos, uma interdição que entra em vigor a 6 de Outubro. Vão ser criadas zonas específicas para fumar, sem mesas nem slots. O secretário para os Assuntos Sociais e Cultura diz não ser possível satisfazer todas as solicitações em torno da questão do consumo de tabaco nos casinos.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

A Ou Mun Tin Toi tem estado a avançar que o grupo Nam Kwong vai ser o maior accionista da Companhia de Electricidade de Macau. A rádio refere ainda que o condutor que atropelou mortalmente uma adolescente de 14 anos – um acidente numa passadeira no Patane – está acusado de homicídio por negligência.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

“Velhos amigos” à primeira vista, escreve o Jornal Tribuna de Macau no destaque com fotografia da edição de hoje, a propósito do encontro do Presidente da República Portuguesa, Cavaco Silva, com o homólogo Xi Jinping. A manchete é dedicada à educação: “Mais 222 alunos precisam de ensino especial”.

 

O Hoje Macau dá conta da mensagem deixada pelo comissário europeu para os Assuntos Fiscais, que avisa que Macau pode ficar na causa do pelotão no combate à fraude e à evasão fiscal: “Verdade e consequência”, lê-se no título.

 

O Ponto Final olha para as eleições para o Chefe do Executivo e diz que “Associação Comercial monopoliza votos”. Nota ainda para a notícia sobre o reforço dos postos diplomáticos portugueses em Pequim e em Xangai.

 

O Clarim ilustra a capa com uma fotografia do Papa Francisco, para o título: “Viagem à Terra Santa”. Espaço ainda na primeira página para Edward Tracy, director executivo da Sands China, que afirma que “Macau é insubstituível”.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

“Fiedler no telhado – mais uma vez.” É a manchete do Macau Daily Times desta sexta-feira. O diário refere-se às acusações feitas ontem pela International Union of Operating Engineers acerca do alegado envolvimento da Wynn com elementos da seita 14K. No outro grande destaque da capa, as disputas no Mar da China e os conflitos no Vietname.

 

“Fumar vai ser proibido nos pisos do jogo de segmento de massas a partir de 6 de Outubro”, refere o Macau Post Daily desta sexta-feira. Também na primeira página do diário, um caso de polícia: “Relógios de luxo trocados por falsos.” O jornal conta que um indivíduo procedeu à troca quando se fez passar por um cliente, numa loja de joalheria.

 

A “provocação da Turbojet” faz hoje a manchete do Business Daily. O jornal escreve que a empresa tem planos para estender o serviço de ferry a uma ligação entre Hong Kong e o Aeroporto Internacional de Macau. No entanto, o aeroporto diz não ter conhecimento do projecto. Noutro destaque, o diário económico conta que um sindicato americano pediu às entidades reguladoras de Macau que revejam a licença concedida a uma operadora de junkets – em causa suspeita de ligações a membros das tríades.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O China Daily escreve em manchete que “dois chineses foram mortos em confrontos no Vietname”. Pequim condena “veementemente” os ataques e pede a Hanói que puna os responsáveis. Chamada ainda na primeira página para a notícia que dá conta de que o Ministério da Segurança Pública está a desenvolver esforços com alguns países de África e do Sudeste Asiático para que a atribuição de vistos seja mais rigorosa. A ideia é evitar que cidadãos chineses permaneçam ilegalmente em Macau e em Hong Kong, onde passam em trânsito.

 

No Standard, a notícia principal da edição de sexta-feira também é os confrontos no Vietname, mas o número de vítimas que o jornal destaca é diferente das contas do China Daily. O Standard escreve que 21 pessoas – incluindo 16 chineses – morreram nos ataques feitos a empresas chinesas no Vietname.

 

Por último, o South China Morning Post, que não foge ao tema: o matutino ilustra a primeira página com imagens do Vietname, sendo que numa delas se vêem chineses a atravessar a fronteira para o Camboja, país que muitos cidadãos da China procuraram depois dos ataques. Ainda na capa, a resposta da Wynn às acusações feitas ontem pela International Union of Operating Engineers, que diz que a operadora mantém uma relação com um junket com ligações a membros da seita 14K. A Wynn Macau ameaça avançar para tribunal.