Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

Cavaco Silva regressa à Cidade Proibida
Quinta, 15/05/2014

O Presidente da República Portuguesa esteve hoje de manhã na Cidade Proibida, em Pequim. Foi um regresso – Cavaco Silva tinha visitado o local quando esteve na capital para assinar a Declaração Conjunta Luso-Chinesa, em Abril de 1987.

 

“Actualmente, a visita à Cidade Proibida está incluída no cerimonial de recepção dos chefes de Estado. Tive o privilégio, em 1987, de visitá-la sem este aparato, sem estes jornalistas e sem estes acompanhantes”, disse o Presidente. “Então, nessa altura, entrei dentro de todas as salas. Foi uma visita diferente. Agora tive uma boa companhia, mas foi limitado o espaço que pude visitar.”

 

Com os comentários sobre o jogo do Benfica – que grande parte da comitiva não conseguiu ver em directo – a dominar as conversas, Cavaco Silva e a primeira-dama ouviram atentamente as explicações do guia sobre a vida dos imperadores e dos ministros naquele emblemático espaço da capital chinesa.

 

No final, o Presidente não tinha dúvidas: “O poder isolado do povo não é boa coisa – e ainda por cima fechado e com 55 mulheres. Portanto, o imperador tinha dificuldade em resistir. Nos dias de hoje, e bem, o poder está no meio do povo, porque o poder serve o povo. A Cidade Proibida, de alguma forma, sugere que o poder está isolado, o imperador estava aqui um pouco fechado do povo. Hoje felizmente as coisas são diferentes e, por isso, já não temos imperadores.” Em resposta a um comentário de um jornalista que afirmou que também em países democráticos como Portugal, o povo sente por vezes que o poder está distante, Cavaco Silva considerou que o melhor será “convidá-lo a vir aqui à Cidade Proibida”.

 

O Chefe de Estado português ainda comentou a final da Liga Europa, antes de regressar à residência oficial dos hospedes do Estado chinês, onde almoçou. A tarde fica marcada com um encontro com o homólogo Xi Jinping.