Em destaque

21 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.21 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Segunda-feira)
Segunda, 12/05/2014

Uma fuga de gás que provocou dois feridos e os desenvolvimentos nas obras do metro ligeiro, no segmento da península, são os principais temas da imprensa em língua chinesa de Macau. Já a os jornais portugueses e ingleses preferem destacar o novo plano para a compra de imóveis, promovido pelo Governo.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Ou Mun destaca uma explosão no Edifício Cheng Chong, na Avenida do Comendador Ho Yin. Por detrás do incidente terá estado uma fuga de gás. Dois moradores ficaram feridos, com queimaduras no corpo. Um deles encontra-se em estado grave. Ainda no jornal, a notícia de que os trabalhos do metro ligeiro na península estão em fase de sondagem geotécnica. A Avenida 24 de Junho é uma das zonas visadas. Outro destaque do Ou Mun vai para as condições das estradas de Macau, depois dos últimos dias de chuvas torrenciais.

 

No Va Kio, os dois feridos na sequência da explosão, no Edifício Cheng Chong, é um dos temas de abertura. Assim como o acompanhamento do caso por parte do Instituto de Habitação, que alerta os residentes para os perigos na utilização de aparelhos a gás. O diário olha ainda na edição desta segunda-feira para os negócios dos restaurantes, no dia da mãe, celebrado ontem em Macau. Devido ao mau tempo, registaram-se quebras na ordem dos 20 a 30 por cento, adianta o Va Kio, que aborda igualmente o desenvolvimento das obras do metro ligeiro. Uma equipa de consultores está já a efectuar uma sondagem geotécnica na zona da Avenida 24 de Junho.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

Esta manhã, o canal chinês da Rádio Macau destaca as declarações do deputado Leong Veng Chai no programa “Macau Fórum”. O número dois de Pereira Coutinho nas últimas eleições legislativas defende a obrigatoriedade do regime de Previdência Central.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

“Olho negro.” É o que se lê na manchete do Hoje Macau, que explica que o território foi arrasado, em Genebra, “por causa da violência doméstica”. O jornal adianta que os “peritos da ONU não perdoaram” e que a RAEM “foi acusada de colocar os interesses dos agressores à frente dos das vítimas”. Destaque também no Hoje Macau para uma entrevista a Paulo Cheang – o membro do Fundo para o Desenvolvimento das Ciências e da Tecnologia diz que é preciso “criar um ambiente mais saudável para que os turistas cá fiquem mais tempo”.

 

O Jornal Tribuna de Macau coloca em manchete a habitação e escreve que o novo plano para a compra de imóveis, apresentado pelo Governo, “visa ajudar [a] classe média”. O jornal salienta ainda que as propostas estão “em consulta pública até 8 de Julho” e que “a meta final é criar um quadro de oferta de habitação de quatro níveis”. Na primeira página do JTM, destaque também para a entrevista a João Miguel Barros: “Há perversões na cultura judiciária”, diz o advogado.

 

A manchete do Ponto Final vai, esta segunda-feira, para a visita oficial do presidente português à China, com uma citação de Cavaco Silva: “Escolhas da Declaração Conjunta foram a opção certa”. O chefe de Estado chega hoje a Xangai, no primeiro dia da visita oficial à China, que inclui ainda paragens em Pequim e Macau. O plano do Governo para a área da habitação também tem honras de primeira página no Ponto Final: “Reserva para residentes afecta famílias mais frágeis.” É o que avisa a Universidade de Macau, mas “77,6 por cento apoiam a medida”.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

No Business Daily, a manchete é feita com “questões da habitação”. O título remete para a consulta pública de dois meses, a propósito da hipótese de reservar casas para residentes. O jornal destaca também a garantia deixada pelo Governo no sentido de ter alcançado resultados “consideráveis” na implementação de recomendações da ONU.

 

O Macau Post Daily titula “consultores recolhem dados geológicos para a secção sul do metro ligeiro”. Em causa está o traçado na península de Macau. Noutro tema com honras de primeira página está Li Keqiang: "China sela mega acordo ferroviário no Leste de África."

 

Já o Macau Daily Times faz hoje manchete com os protestos na China, contra uma incineradora de resíduos. As manifestações provocaram dezenas de feridos. Quanto ao destaque fotográfico do jornal vai para o “Macau Indies”, que premiou um documentário sobre transexuais, assinado pelo português Nuno Viegas.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O South China Morning Post tem como destaque fotográfico o mau tempo, em Shenzhen. Registaram-se inundações, depois das chuvas torrenciais deste fim-de-semana, que são as mais graves desde 2008. No diário está ainda a reunião anual da liderança chinesa, que deve coincidir com o anúncio sobre o desfecho do caso de Zhou Yongkang – o ex-chefe da segurança interna da China, envolvido numa investigação anti-corrupção.

 

No China Daily, a manchete é feita com a viagem de Li Keqiang a África. A visita oficial do primeiro-ministro chinês terminou ontem, no Quénia, com a “consolidação das relações entre Pequim e o continente”. O jornal faz ainda eco do anúncio de que a polícia do Continente está à caça dos responsáveis pelos violentos confrontos de ontem, em Hangzhou. Os protestos acabaram com dezenas de feridos e carros vandalizados. A construção de uma incineradora de resíduos foi o motivo da rebelião.

 

No Standard está o “boom de multimilionários”. Londres lidera o ranking das cidades com as pessoas mais ricas. Hong Kong aparece na sexta posição.