Em destaque

22 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

DST propõe roteiro turístico para a zona norte
Quinta, 08/05/2014

Os Serviços de Turismo (DST) querem criar mais quatro roteiros turísticos, no âmbito da campanha “Sentir Macau Passo-a-Passo”, e um deles está previsto para a zona norte de Macau. O traçado turístico proposto começa no Arco das Portas do Cerco e termina no Forte de Mong Há, passando por locais como o Jardim Triangular ou o Mercado Vermelho.

 

O subdirector dos Serviços de Turismo, Chen Wai Tong, justifica a inclusão da zona norte com a necessidade de “responder aos pedidos das associações comerciais e industriais, que acham que os Serviços de Turismos fazem pouco na divulgação e promoção do norte da cidade, especialmente na zona das Portas do Cerco.”   

 

Há ainda outro roteiro proposto para Macau, que abrange a freguesia de Santo António. Na Taipa, o passeio turístico é para a zona do Carmo. Em Coloane, os Serviços de Turismo sugerem um passeio a começar na Ponte-Cais e a terminar no templo Tam Kung.

 

Estes roteiros são mais direccionados a quem quer andar a pé e por isso vão ser criados vários incentivos para atrair turistas. Um deles, diz a directora dos Serviços de Turismo é uma espécie de passaporte para coleccionar carimbos. No final, diz Helena de Senna Fernandes, os turistas podem ganhar lembranças. “Dentro de uma rota se eu tiver três carimbos, tenho direito a uma lembrança. Se tiver andado em quatro rotas e tiver 12 carimbos, já tenho uma prenda um pouco melhor. É este tipo de incentivo que estamos à procura para atrair mais pessoas para estas rotas”, explica Helena de Senna Fernandes.

 

A ideia, sublinha a directora da DST, é diversificar os pontos turísticos e tentar que os turistas não fiquem apenas no centro da cidade.

 

Os roteiros agora apresentados não são definitivos. Para já vão agora ser organizadas várias sessões com os residentes e comerciantes, que são convidados a partilhar opiniões. A partir de 19 deste mês e até 19 de Junho, vão ser feitos inquéritos on line e nas ruas – inquéritos a realizar em três línguas: chinês, português e inglês.

 

Esta quinta-feira, alguns dos presentes na sessão organizada pelos serviços de Turismo mostraram preocupação com questões como a sinalização, a falta de casas de banho públicas e mesmo a falta de infraestruturas para pessoas deficientes ou com crianças nestas zonas turísticas.