Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Quinta-feira)
Quinta, 08/05/2014

Os jornais de Macau viram hoje atenções para a decisão do Governo de proceder a um ajuste directo, em vez de concurso público, para a aquisição das rotas da Reolian. Os matutinos de Hong Kong destacam a saída do Governo da primeira-ministra tailandesa, Yingluck Shinawatra, por decisão do tribunal constitucional. 

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O jornal Va Kio destaca o director dos Serviços de Tráfego, sobre a aquisição da Reolian. Wong Wan disse estar a contactar com uma empresa com experiências na área, depois de ter já pesado o interesse público. O jornal realça na primeira também a decisão do Governo de proceder à concessão das rotas da Reolian, por ajuste directo, em vez de por concurso público. Noutro titulo, o Va Kio revela ainda que deve ficar concluída no terceiro trimestre, a construção do novo Centro de Inspecções de Veículos Automóveis.

 

O Ou Mun coloca também em grande destaque a decisão do Governo sobre a Reolian. O jornal acrescenta na notícia que a urgência de resolução do problema da operadora de autocarros está relacionada a proximidade do final do contrato e a necessidade de se garantirem estes serviços sem interrupções. Ainda sobre este tema, o diário diz que os trabalhadores da Reolian esperam "que os salários e as regalias se mantenham inalterados”. Na primeira, ainda as criticas do deputado Ho Ion Sang que antevê que “a concessão por ajuste directo e a urgência da situação” podem colocar o Governo “numa posição desvantajosa”. O Ou Mun traz ainda para a primeira página a noticia de um acidente entre um carro e um autocarro na Avenida de Sidónio Pais, que deixou ferida uma passageira do autocarro. A polícia diz que o condutor do carro estava a conduzir sobre o efeito de álcool.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

A Ou Mun Tin Toi diz que o Chefe do Executivo vai determinar a forma de serem feitas declarações pelo Governo aos jornalistas. A rádio noticia ainda que o secretário para os Transportes e Obras Públicas, Lau Si Io, anunciou que o Governo não vai proceder a um concurso público para a atribuição da concessão das rotas operadas pela Reolian.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

“Governo rejeita baixar rendas de lojas em Seac Pai Van” é a manchete do Jornal Tribuna de Macau – o Instituto de Habitação “diz que pedido de comerciantes não se enquadra na lei”. Outro título diz “em prol da plataforma”, a propósito da mensagem deixada pelo director do Gabinete de Ligação do Governo Central na RAEM, durante uma visita à APIM e ao Jardim de Infância D. José da Costa Nunes.  Li Gang  insistiu que Macau necessita de mais bilingues para reforçar o seu papel de plataforma sino-lusófona.

 

O Ponto Final destaca o Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais e o facto do “Inquérito contra Raymond Tam continua parado”. Apesar da nomeação de Alex Vong para a presidência do IACM, o Governo decidiu manter suspenso o processo disciplinar contra Raymond Tam até haver uma decisão do tribunal, escreve ainda o jornal. Sobre os transportes, o matutino diz que as inspecções serão “mais curtas a partir do próximo ano”.

 

“Respeitosamente seu”, é o título do Hoje Macau, sobre a notícia da Inspecção de Jogos ter criado um “curso compulsivo para funcionários”. Pereira Coutinho alerta para a ilegalidade da obrigatoriedade dos funcionários frequentarem o curso. A fotografia mostra um ensaio dos Dóci Papiaçam, que têm yma nova peça sobre o drama da habitação.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

Em manchete, o Macau Post escreve: “Governo descarta concurso público para aquisição da Reolian”. Em Boletim Oficial, o Executivo explica a decisão com os “constrangimentos temporais” e a “necessidade urgente de assegurar que os serviços de autocarros públicos não são interrompidos”. O jornal acrescenta na notícia, as declarações ainda do director dos Serviços de Tráfego. Wong Wan lembra que o problema tem de ser resolvido até ao dia 30 de Junho.

 

“Livre para todos” diz, em manchete, o Business Daily. O diário económico explica o título com o facto de Macau estar na posição número 29 no ranking das economias mais livres do mundo. Uma “queda de 10 lugares” face ao ano passado, ainda assim, no geral, “é uma posição bem acima da média do mundo e também regional”. Noutro título lê-se “Macau no pódio”, no que toca à notação da Moody’s. A agência de notação financeira elevou o rating de Macau para Aa2.

 

O Macau Daily Times denuncia um “centro de educação que emite diplomas universitários sancionados pelo Gabinete de Apoio ao Ensino Superior”. O centro funciona na dependência da Federação das Associações dos Operários de Macau, que providencia diplomas através de uma colaboração com universidades da China. O destaque fotográfico neste jornal é feito com a Tailândia, onde um “tribunal forçou a saída da líder tailandesa”, embora “a crise continua”.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O South China Morning Post destaca a notícia de que “a China vai iniciar uma campanha de combate a pagamentos ilegais através do Union Pay em Macau”. O objectivo das autoridades chinesas é “conter a fuga maciça de capitais da China através de dispositivos de pagamento ilegais usados pelos visitantes”, sobretudo, nos arredores dos casinos. Na fotografia está Yingluck Shinawatra, que foi obrigada pelo tribunal constitucional a sair da liderança do Governo tailandês.

 

O China Daily continua a acompanhar o périplo do primeiro-ministro chinês ao continente africano. A fotografia de hoje mostra Li Keqiang sorridente a cumprimentar o presidente da Nigéria, Goodluck Jonathan. No país, os dois dirigentes assinaram acordos importantes, sublinha o jornal.  Noutro título, o China Daily escreve também que a polícia chinesa vai ajudar as autoridades francesas a prevenirem mais ataques contra chineses em Paris.

 

O The Standard publica várias fotografias de um desentendimento entre uma professora da China e um polícia da alfândega filipino. A manchete diz “punhos de fúria”