Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

UCTM absorve mais de metade dos apoios da Fundação Macau
Quarta, 27/07/2011
A Fundação Universidade de Ciência e Tecnologia de Macau recebeu mais de metade do valor total dos subsídios distribuídos pla Fundação Macau no segundo trimestre de 2011. De acordo com a lista publicada hoje em Boletim Oficial, ao todo, no segundo trimestre do ano, a Fundação Macau distribuiu 405 milhões, 820 mil e 288 patacas em apoios financeiros a particulares e a instituições. Mais de metade do total, cerca de 211 milhões de patacas, foram para a Fundação Universidade de Ciência e Tecnologia de Macau.

A instituição de ensino recebeu dois apoios: um no valor de 136 milhões e 403 mil patacas – a primeira prestação para custear a construção do campo de futebol e o pavilhão desportivo da Universidade de Ciência e Tecnologia de Macau (UCTM); outro apoio foi de 75 milhões de patacas, destinados às despesas anuais de quatro instituições subordinadas à Fundação da UCTM.

As outras instituições de ensino superior que se destacam na lista de apoios são a Universidade Cidade de Macau, do deputado e membro do Conselho Executivo Chan Meng Kam, que recebeu 3 milhões de patacas para custear as despesas do plano de actividades anual de 2011. Já a Universidade de São José recebeu um milhão e meio de patacas.

Na lista dos apoios publicada hoje em Boletim Oficial surge ainda que a Casa de Portugal em Macau recebeu, em Abril, sete milhões e meio de patacas. O dinheiro justifica-se com o plano anual de 2011 e com a produção de 3 programas televisivos.

A Associação dos Amigos de Moçambique recebeu 38 mil patacas para realizar a semana cultural do país africano e a Associação dos Macaenses recebeu um milhão e duzentas mil patacas.

Quanto à Escola Portuguesa, a Fundação que gere o estabelecimento de ensino recebeu 8 milhões e 700 mil patacas, dinheiro destinado às depesas do ano lectivo 2010/2011.

Na extensa lista dos apoios, outras grandes fatias, no valor de 19 milhões de patacas cada, foram para a Federação das Associações dos Operários de Macau e para a União Geral das Associações de Moradores de Macau.