Em destaque

22 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Conselho do Património: Rua da Felicidade com janelas verdes
Quarta, 19/03/2014

A proposta do Conselho do Património Cultural foi unânime: a zona da Rua da Felicidade e do Beco da Felicidade deve passar a ter janelas verdes, em vez das actuais vermelhas. Isso mesmo explicou hoje aos jornalistas um dos membros do conselho, Lam Fat Iam.

 

Naquela que foi a primeira reunião desde que foi criado, o Conselho do Património Cultural analisou hoje os resultados da consulta pública sobre o projecto de restauro das fachadas de um conjunto de construções classificadas na Rua da Felicidade e no Beco da Felicidade.

 

De acordo com os resultados da consulta, todos os inquiridos mostraram-se a favor da concretização do projecto de restauro das fachadas. Já no que diz respeito à cor das paredes das construções, mais de 70 por cento dos 27 participantes mostraram-se a favor de obras que permitam revelar o tijolo esverdeado que, segundo uma investigação do Instituto Cultural (IC), caracterizava a construção original.

 

Mais divididas estiveram as opiniões manifestadas em relação à cor das janelas: 12 pessoas querem que continuem vermelhas, outras 12 defendem que voltem a ser verdes, como eram até 1996. Houve ainda três pessoas que apresentaram outras sugestões.

 

Segundo o presidente do Instituto Cultural, Guilherme Ung Vai Meng, para que o plano de restauro avance, não basta a vontade do Governo: é preciso também que o proprietário consinta “que as obras sejam feitas” e que quem viva no edifício concorde.

 

Na consulta pública, que abrangeu, sobretudo, residentes e lojistas da zona, 92 por cento mostraram-se a favor de colaborar, disponibilizando-se a sair temporariamente dos imóveis onde estão caso os mesmos precisem de ser restaurados. A ideia será também avançar com os trabalhos de forma faseada.

 

Mas as conversações ainda vão decorrer. Em conferência de imprensa, os representantes do Conselho disseram não poder, por isso, avançar, neste momento, com valores quanto ao custo do projecto de restauro.