Em destaque

18 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20602 patacas e 1.1314 dólares norte-americanos.

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (segunda-feira)
Segunda, 17/03/2014

A imprensa de Macau em língua chinesa traz as últimas sobre a evolução da gripe das aves no território: funcionários de mercados ainda em isolamento, por precaução. Nos jornais publicados em português, as atenções dividem-se entre vários temas: TDM, património e o desfecho dos casos La Scala e ETAR.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

A gripe das aves domina os principais destaques do Ou Mun e do Va Kio.

 

Ambos os jornais informam que os Serviços de Saúde foram notificados de mais um novo caso de infecção humana pela gripe aviária H7N9, em Shenzhen. Sobem, assim, para 89 os casos confirmados na província de Guangdong, dos quais resultaram 26 mortes.

 

Em Macau, os Serviços de Saúde continuam a acompanhar a situação de seis funcionários de mercados que, por precaução, ficaram em isolamento no Centro Hospitalar Conde de São Januário.

 

Também a propósito da gripe das Aves, o Ou Mun e o Va Kio trazem declarações de responsávels do hospital Kiang Wu garantindo que a unidade está preparada para lidar com um eventual surto, já que tem medicamentos em número suficiente.

 

No Ou Mun, informa-se, ainda, que o empresário de Hong Kong Joseph Lau, um dos oito arguidos condenados na passada sexta-feira no caso conhecido como “La Scala”, foi substituído pelo filho na presidência da empresa “Chinese Estates Holdings”.

 

No Va Kio, além de gripe das aves, destaca-se a conclusão das obras de ampliação da secção feminina do Estabelecimento Prisional de Macau.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

Esta manhã, na Ou Mun Tin Toi o maior destaque é dado à data para a qual foi marcada a eleição dos membros da Comissão Eleitoral do Chefe do Executivo: 29 de Junho, de acordo com uma ordem executiva publicada hoje em Boletim Oficial, o que significa que a Eleição para o Chefe do Executivo só pode ser realizada a partir do dia 31 de Agosto, acrescenta o canal chinês da Rádio Macau.

 

Na manhã informativa da Ou Mun Tin Toi ouve-se ainda que hoje é o último dia para a apresentação de candidaturas à habitação económica. Até às 9 da manhã, mais de 500 pessoas estavam à porta do Instituto de Habitação, à espera de vez para entregar os boletins de candidatura.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

“É muito urgente fazer um inventário exaustivo do Património”, lê-se no título principal do Jornal Tribuna de Macau, que destaca desta forma uma entrevista com o arquitecto Nuno Soares.

 

Outro título destacado desta primeira página do JTM: “Condenações motivam recursos e renúncia de Joseph Lau”.

 

O Hoje Macau faz o título principal com o fim do julgamento dos casos La Scala e ETAR: “Prisão para todos” – “O tribunal decidiu condenar todos os arguidos. Luc Vriens, Pedro Chiang, Joseph Lau e Steven Lo terão que cumprir pena de prisão efectiva. Defesa vai interpor recurso.”

 

Além de justiça, televisão: “Canais básicos em Abril, Governo garante”.

 

O novo presidente da TDM está na primeira página do Ponto Final. Em entrevista ao jornal, Manuel Pires afirma que “TDM já não cabe na Xavier Pereira” e, por isso, “vê urgência na mudança das instalações, nem que seja provisória, e espera apoio do Governo.”

 

Também o chamado “caso La Sacala” aparece realçado: “Penas e dúvidas no tribunal – A justiça condenou todos os arguidos (...) A tradução e a decisão deixaram dúvidas entre os advogados: os actos de corrupção eram referentes a acto lícito ou ilícito?”

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Macau Daily Times avança que “foi detido em Hong Kong, por alegada lavagem de dinheiro, um dos proprietários da Neptuno”, uma das maiores empresas de promotores de jogo em Macau. O jornal não confirma, tidavia, a identidade da pessoa que foi detida na quarta-feira num apartamento de Hong Kong onde a polícia encontrou 200 milhões de dólares de Hong Kong em dinheiro.

 

“De luxo a lixeira”, lê-se na manchete do Business Daily a propósito da decisão do caso conhecido como “La Scala”, em que foram condenados os oito arguidos, incluindo os dois empresários ligados ao empreendimento de luxo. Entretanto, acrescenta o Business Daily, Steven Lo e Joseph Lau já apresentaram recurso da decisão que os condena a 5 anos e 3 meses de prisão efectiva por corrupção activa e lavagem de dinheiro.

 

“Governo recruta morcegos para combater mosquitos”, diz a manchete do Macau Post Daily Independent. O Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais já distribuiu 20 ninhos para morcegos na área entre as Casas-Museu da Taipa e a Estrada da Baía da Nossa Senhora da Esperança. Deste modo, o Governo espera reduzir o número de mosquitos que tendem a propagar-se no Verão.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

No South China Morning Post, o maior destaque é dado à bolsa de Hong Kong que “procura mudanças” numa altura em que a Alibaba, a empresa chinesa gigante do comércio electrónico, escolhe ser listada na bolsa de Nova Iorque. O jornal tem declarações de Charles Li, o homem forte da praça financeira de Hong Kong, defendendo que terá que haver reformas estruturais se a bolsa do território quiser permanecer competitiva. Estas declarações surgem depois de a bolsa de Hong Kong não ter mostrado abertura para mudar as regras e permitir a listagem da Alibaba, avaliada em 100 mil milhões de dólares de Hong Kong.

 

Ao lado, outro grande foco apontado às buscas pelo avião da Malaysian Airlines ainda desaparecido: mais 11 países juntam-se às operações.

 

No jornal The Standard, é também o mistério do voo MH370 que domina: “Foco vira-se para os pilotos”, escreve o jornal que ainda tem espaço para destacar o referendo na Crimeia, “inclinado para o ‘sim’ à Rússia”.

 

A situação na Crimeia faz hoje as honras de manchete no China Daily. O jornal oficial chinês de língua inglesa escreve no título principal “Apela-se ao diálogo em torno da Crimeia”, numa referência às pretensões da China, que pede “um mecanismo para coordenação internacional”.

 

Outro tema forte desta primeira página diz respeito à Alibaba que “opta por uma listagem nos Estados Unidos”, uma operação que “segue a tendência de cada vez mais empresas chinesas procurarem mercados estrangeiros”.