Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Quinta-feira)
Quinta, 13/03/2014

A imprensa local destaca o primeiro caso de gripe aviária detectado em Macau, num lote de galinhas no mercado abastecedor. A marcar a actualidade regional continuam as buscas pelo boeing 777 das linhas aéreas da Malásia, que está desaparecido desde sexta-feira, com 239 pessoas a bordo.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Jornal Ou Mun destaca o primeiro caso de gripe aviária detectado em Macau. Em manchete lê-se que “Macau deixa de vender aves vivas por 21 dias”. O vírus H7 foi detectado num lote de galinhas vivas, no mercado abastecedor.

 

O Va Kio acrescenta em título que Governo também decidiu deixar de importar aves de Zhuhai por 21 dias. Noutro destaque, o matutino dá conta da detenção pela Polícia Judiciária de pessoas suspeitas de tráfico de droga em três casos diferentes. Ao todo foram detidas seis pessoas, dois residentes de Macau e quatro da China.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

A Ou Mun Tin Toi vira atenções esta manhã para os desenvolvimentos nas buscas pelo avião da Malasya Airlines. A rádio diz que satélites chineses captaram imagens do que podem ser destroços do Boeing 777 a flutuar no Mar do Sul da China. As autoridades malaias também já desmentiram as notícias de que foram encontrados corpos a boiar. Da actualidade local, a Ou Mun Tin Toi destaca igualmente a proibição de venda e de importação de aves vivas durante 21 dias, por causa do primeiro caso relacionado com a gripe aviária detectado em Macau.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

O Ponto Final escreve em manchete que “acordos com Pequim em matéria penal sem consenso”, para transferência de infractores em fuga e reconhecimento de sentenças criminais. Noutro título lê-se “fortunas – milionários conservadores”; cerca de 16 por cento dos jovens adultos locais já ganharam o primeiro milhão, é o que indica um estudo encomendado pelo banco Weng Hang.

 

“À espera do doutor”, é a manchete escolhida pelo Hoje Macau, sobre o facto das pessoas admitidas no exame de acesso ao internato geral em 2011 ainda não terem iniciado funções. Noutro destaque lê-se “milionários de Macau – poucos sabem sobre onde e como aplicar o seu dinheiro”.

 

O Jornal Tribuna de Macau diz que “há uma associação na RAEM por cada 100 cidadãos”. Até ao final de Outubro de 2013, foram registadas mais de seis mil. “Apoio insuficiente e respostas tardias”, é a chamada de primeira para a reportagem sobre a escola da Cáritas que revela lacunas no ensino especial.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

No Business Daily a manchete diz: “transacções ilegais inundam cidade”. Escreve o diário económico que um relatório especial da Reuters expõe o segredo menos bem guardado de Macau, que é a lavagem de dinheiro através de lojas. “Terreno levanta questões”, é outro título da primeira página do Business. As pessoas interessadas em abrir negócios no terreno que o Governo Central vai ceder a Macau para a diversificação económica, querem saber mais detalhes, como o tipo de oferta e os termos.

 

 “As autoridades anunciaram primeiro caso de gripe aviária em Macau”, é a manchete do Macau Daily Times. O vírus H7 foi detectado esta terça-feira num lote de galinhas vivas, no mercado abastecedor. Na fotografia um caso de sucesso, referência a uma entrevista com o indonésio Sunny Sukardy. O proprietário do Street City – uma plataforma de comércio - diz que “é muito difícil conseguir fazer algo em Macau”.

 

O Macau Post também vira atenções para o primeiro caso em Macau relacionado com a gripe aviária. Lê-se que “Governo mata sete mil e quinhentas galinhas depois de detectado o vírus e proíbe a importação de aves vivas durante 21 dias”. Noutro destaque de primeira página, o jornal sublinha a afirmação do director dos Serviços de Protecção Ambiental. Cheong Sio Kei disse que “é impossível melhorar neste momento os níveis de poluição de Ka Ho”.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O South China Morning Post escreve que “China critica resposta caótica da Malásia”. Em foco a forma como as autoridades malaias responderam ao desaparecimento do avião da Malasya Airlines, com 239 passageiros a bordo, grande parte de nacionalidade chinesa. Pequim pede que sejam clarificados relatos contraditórios em relação à mudança de direcção da aeronave das linhas aéreas da Malásia.

 

Sobre o mesmo tema, o China Daily publica fotografias do primeiro-ministro da China, Li Keqiang, e de uma operação da força aérea chinesa. Lê-se que Li Keqiang falou ao telefone com o capitão de um navio chinês que está a ajudar nas buscas pelo avião da Malasya Airlines. O primeiro-ministro pediu a todos os departamentos envolvidos na missão para intensificarem os esforços. Em manchete, diz o jornal que “delegados querem lei nacional anti-terrorismo”, depois do ataque com facas em Kunming.

 

Na edição de hoje, o Standard diz que ataque o antigo-editor do Ming Pao pode não estar relacionado com trabalho jornalístico. É a convicção das autoridades de Hong Kong depois de terem detido nove pessoas, suspeitas de estarem envolvidas no esfaqueamento de Kevin Lau.