Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

Gripe das aves chegou ao mercado abastecedor de Macau
Quinta, 13/03/2014

O vírus H7 foi detectado esta terça-feira num lote de galinhas vivas, no mercado abastecedor. As aves não chegaram a sair para os mercados municipais e as autoridades locais também indicam que, até ao momento, não foram detectados sintomas de gripe entre os cerca de 30 trabalhadores que se acredita terem tido algum tipo de contacto com estas aves.

 

“O IACM detectou, no dia 12 de Março, a presença do vírus H7, vírus da gripe das aves, num lote de aves de capoeira. Este lote não chegou a sair para os mercados [municipais], mas, para garantir a segurança da saúde pública, as autoridades tomaram medidas de imediato e ordenaram o bloqueio, abate e desinfecção”, anunciou, na noite passada aos jornalistas, Alex Vong, dirigente do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM).

 

Segundo o que foi explicado numa conferência de imprensa convocada por volta da meia-noite, o vírus foi detectado num piso do mercado abastecedor de Macau, num lote de cerca de mil aves, proveniente de uma empresa de Zhuhai. No entanto, por precaução, as autoridades abateram um total de 7.500 aves de capoeira, que se encontravam no local.

 

A partir desta quinta-feira está também proibida a importação, compra e venda de aves vivas, em Macau, durante um período de 21 dias. Para já, o IACM afasta a probabilidade de, após esse período de tempo, vir a proibir a importação de aves vivas de Zhuhai.

 

De acordo com o IACM, estima-se que cerca de três dezenas de trabalhadores tenham tido algum tipo de contacto com o lote onde foi detectado o vírus. No entanto, até agora, não há notícia de qualquer sintoma de gripe entre esses funcionários, garantiu o director dos Serviços de Saúde. De qualquer forma, Lei Chin Ion assegura que as autoridades vão acompanhar de perto o estado de saúde dessas pessoas, durante dez dias, para decidirem se há necessidade de se impor uma quarentena ou outro tipo de medidas, que vão variar consoante o grau de contacto que esses trabalhadores tiveram com as aves. “Temos reserva de medicamentos para tratamento para um período de três meses. Apelamos aos cidadãos que não se desloquem a mercados com aves vivas e que prestem atenção à higiene pessoal”, recomendou ainda o director dos Serviços de Saúde.

 

Na China, e segundo o último balanço oficial, quase 390 pessoas foram infectadas com o vírus H7N9 da gripe das aves – 91 destes pacientes acabaram por morrer. Em Macau, por enquanto, não foram detectados quaisquer casos de pessoas infectadas com o vírus da gripe das aves. Lei Chin Ion adianta que, até agora, as autoridades de saúde da RAEM analisaram mais de 70 casos suspeitos, mas todos os testes tiveram resultado negativo.