Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

Obras do metro já custaram 8,4 mil milhões de patacas
Quarta, 12/03/2014

O coordenador-adjunto do Gabinete para as Infra-estruturas de Transportes (GIT), André Ritchie, revelou que o projecto do metro ligeiro já custou aos cofres públicos 8,4 mil milhões de patacas. “Isto referente a todos os contratos que já foram adjudicados. Mas, como disse, havendo agora estas variáveis do lado de Macau e não sabendo ainda a solução do traçado, só quando estiver definido é que podemos fazer uma estimativa”, acrescentou o responsável, à margem de uma visita a um segmento das obras, junto ao aeroporto.

 

Apesar de não adiantar uma previsão sobre o custo total das obras – era de 11 mil milhões de patacas, em 2011 –, André Ritchie deixou em aberto a possibilidade de os valores dispararem. “Neste momento, não quero fazer uma previsão porque com a ausência de um traçado [em Macau] não temos esses valores. Mas, naturalmente, há que perceber que existem factores como a inflação e o aumento dos custos dos materiais que terão um impacto”, sustentou.

 

O resultado do estudo sobre o traçado do metro ligeiro na península vai ser apresentado no primeiro semestre. Um dos factores que pode encarecer o projecto, explicou o responsável do GIT, é a construção de um túnel, em vez de um viaduto, nas imediações da Ponte Nobre de Carvalho (na entrada da Avenida Sun Yat Sen).

 

As primeiras carruagens do metro ligeiro devem começar a circular em 2016, apenas na Taipa, onde as obras correm a “todo o vapor”. Ainda assim, André Ritchie salientou que há “muitos factores que poderão provocar atrasos, nomeadamente o tempo”, citando “os eventuais impactos de ventos fortes, chuvas fortes e tufões”.

 

O coordenador-adjunto do GIT adiantou ainda que uma empresa de consultoria está a analisar os resultados da recente consulta pública sobre a passagem do metro ligeiro em Seac Pai Van. Uma das opiniões mais partilhada foi a necessidade do traçado passar junto ao futuro Complexo de Cuidados de Saúde das Ilhas.