Em destaque

18 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20602 patacas e 1.1314 dólares norte-americanos.

Macau tem a partir de Maio semanário em português e chinês
Terça, 11/03/2014

Macau vai ter um novo jornal. Chama-se “Plataforma Macau - Ou Mun Pen Toi”. Trata-se de um semanário bilingue, em português e chinês. A iniciativa pertence ao jornalista Paulo Rego e ao provedor da Santa Casa da Misericórdia de Macau, António José de Freitas.

 

O projecto, explicou à Rádio Macau Paulo Rego, tem como missão e foco editorial fazer a ligação entre a China e os países lusófonos: “O primeiro objectivo de um produto ‘media’ bilingue é, obviamente, facilitar e promover a comunicação entre duas línguas – no caso de Macau, duas comunidades, mas, de um ponto de vista mais vasto e geoestratégico, permitir também que a China e os países de língua portuguesa comuniquem, no sentido de emitir e no sentido de percepcionar”.

 

O novo jornal semanário será publicado a partir de Maio, com uma tiragem de 10 mil exemplares. Na Internet, haverá também versões em chinês tradicional e simplificado, e ainda em inglês. A redacção conta com uma equipa de seis a sete profissionais e uma rede de colaboradores nos países lusófonos.

 

De acordo com Paulo Rego, o “Plataforma Macau” é um projecto “ambicioso” que promete ser mais virado para a reflexão e para a diversificação de conteúdos: “O público, as fontes e os patrocinadores de um semanário esperam sempre que um semanário seja capaz de fugir à espuma dos dias, quer do ponto de vista da gestão de conteúdos, quer do ponto de vista da capacidade de reflexão e análise, de diversificação das abordagens e até do grafismo. Estamos a apontar para um jornal que não terá menos de 48 páginas semanais, um produto ambicioso e complexo do ponto de vista de produção dada a necessidade de gerir duas línguas”.