Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Quarta-feira)
Quarta, 26/02/2014

As manchetes são diferentes nos jornais locais, mas ficamos a saber que a Art For All vai fechar a sua galeria na Areia Preta, que Chui Sai On garante que o Governo não interfere com a liberdade de imprensa e que a Macao Water pede um aumento de 16 por cento no pagamento dos seus serviços. A poluição sentida em Pequim é outro dos temas em destaque tanto nos diários de Macau como de Hong Kong.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Jornal Ou Mun realça, na primeira página, a nova medida dos Serviços de Educação para os alunos que ingressam, pela primeira vez, no ensino infantil. Os pais passam a só poder inscrever os filhos numa escola. Noutros títulos, o matutino dá conta da “explosão num apartamento na Rua de Pequim” e que “uma criança de 2 anos ficou ferida ao cair do quarto andar de sua casa”. Ainda espaço no Ou Mun para a notícia de “uma mulher atacada com um líquido corrosivo”.

 

No Va Kio, estão em grande destaque as declarações do Chefe do Executivo que afirmou que o Governo “nunca interferiu na liberdade de imprensa”. O diário foca ainda outro tema comentado por Chui Sai On, sobre os trabalhos preparativos para a Reunião Ministerial de Turismo da APEC – a Cooperação Económica da Ásia-Pacífico. Neste jornal, lê-se ainda que um residente foi detido por suspeita de violar a esposa, depois de terem decidido divorciar-se.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

A Ou Mun Tin Toi adianta, esta manhã, que Manuel Pires é nomeado, em comissão eventual de serviço, para exercer as funções de membro do Conselho de Administração da Teledifusão de Macau, S.A., pelo período de três anos a partir de 1 de Março de 2014. A rádio divulga ainda que alguns proprietários do Edifício Sin Fong Garden suspeitam terem sido seguidos pela Polícia Judiciária, embora as autoridades tenham já vindo dizer que tudo não passa de “um mal-entendido”.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

“Ocupados”, escreve em grandes o Hoje Macau, a propósito das declarações do Governo sobre estar aberto para receber sugestões para melhorias dos serviços dos táxis, mas sem tempo para uma nova lei. Sobre uma sombra em forma de touro, o diário escreve que “espanhóis investem novamente” – juiz envia 48 perguntas a Hu Jintao.

 

Em manchete, o Ponto Final escreve “Art For All fecha portas em Macau” – a associação de artistas locais vai encerrar a galeria na sexta-feira, principalmente por causa do aumento de “163 por cento no preço da renda”. Outro destaque é feito com os jornalistas, que “preparam relatório sobre a liberdade de imprensa”, para ser divulgado e entregue ao Governo. A iniciativa é motivada pelas queixas de funcionários da TDM.

 

No Jornal Tribuna de Macau está em foco o jogo, lendo-se que “Galaxy Macau supera Wynn nas receitas por casino”. O JTM sublinha que espaço de jogo do COTAI fixou recorde mensal difícil de alcançar. O destaque fotográfico é feito com a poluição que “cobre um sétimo dos céus da China”. Noutros títulos lê-se ainda: “consumo de água aumento 4,3%” e “’Flash-Mob’ para adopção de animais”.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

“Boston pondera plano de hospital para a Ilha da Montanha” - é a manchete do Business Daily. A Faculdade de Medicina de Harvard nos Estados Unidos tem intenção de abrir uma unidade na Ilha da Montanha, em parceria com a China. Noutro título deste diário económico, lê-se que a Macao Water pede mais dinheiro ao Governo. A Sociedade de Abastecimento de Águas pede um aumento ao Executivo, apesar de ter conseguido lucros na ordem dos 50 milhões de patacas, sublinha o jornal. A empresa explica o pedido com a necessidade de investir em melhores infra-estruturas de distribuição de água pela cidade.

 

O mesmo tema está na primeira página do Macau Post. Este matutino escreve que “Governo revela que abastecedor de água está a pedir um aumento de 16 por cento no pagamento dos serviços”. A Direcção dos Serviços de Assuntos Marítimos e de Água está agora a analisar o pedido da companhia, tendo em conta vários factores, como a qualidade dos serviços.

Numa coluna, o Post dá conta da detenção de um residente por alegadamente ter violado a esposa. O casal teria decidido divorciar-se mas o homem não cumpriu o acordo.

 

O Macau Daily Times destaca uma ideia do líder da Macao Water, que apela a uma reflexão sobre o caso da Reolian. Este diário coloca em grande plano, através do destaque fotográfico, a poluição em Pequim. A poluição “continua com níveis insalubres pelo sexto dia consecutivo”.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O South China Morning Post diz que “importante reunião da APEC” – a Cooperação Económica da Ásia-Pacífico – já não vai decorrer em Hong Kong. O Governo Central decidiu que o encontro deve acontecer antes em Pequim. Uma decisão, realça o South China, “surpreendente” e que tem levantado especulações, embora tenha já sido afastada a ideia de que a mudança está relacionada com o protesto Ocupy Central. Representantes da APEC explicaram que a decisão está relacionada com o pedido de alteração de datas feito pelo presidente norte-americano. Barack Obama sugeriu que o encontro fosse adiado de Outubro para Novembro.

 

O mesmo tema faz as honras de primeira página no Standard, com o título “culpada Ocupy pela mudança da APEC”. O jornal escreve que Hong Kong “foi desprezada” e que o encontro com ministros das finanças e banqueiros vai decorrer antes em Pequim. Noutro título lê-se que “hospital pediátrico no valor de 13 mil milhões vai abrir em 2018”.

 

Em manchete, o China Daily escreve que “cientistas procuram respostas para poluição atmosférica”. Na fotografia vêem-se várias pessoas, em Pequim, a usar máscaras enquanto esperam pelo autocarro. O jornal realça que a poluição persiste, tendo as autoridades emitido já o sinal laranja que aconselha as pessoas a ficarem em casa.