Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

Volume do comércio a retalho cresceu 23% em 2013
Segunda, 24/02/2014

O total de negócios nos estabelecimentos de comércio a retalho, em Macau, cresceu 23 por cento no ano passado, para mais de 66 mil milhões de patacas. Dados oficiais revelados esta segunda-feira, jornalista Sofia Jesus, mostram que, entre os sectores que mais contribuíram para o aumento dos negócios, esteve o das vendas de relógios e jóias.

 

As vendas de relógios e joalharia rondaram no ano passado os 20 mil 460 milhões de patacas – um número que representa 31 por cento do total de negócios dos estabelecimentos de comércio a retalho. Já as vendas de mercadorias de armazém e quinquilharias corresponderam a 16 por cento do total.

 

Quanto ao volume do comércio, a subida foi de 24 por cento, em termos anuais. Em destaque estão o aumento do volume das vendas de artigos de comunicação – mais 49 por cento –, de relógios e jóias – mais 39 por cento – e de artigos de couro – mais 27 por cento.

 

O inquérito elaborado pelos Serviços de Estatística e Censos recolheu também as previsões de responsáveis pelos estabelecimentos de comércio a retalho: 58 por cento esperam que o volume de vendas estabilize durante o primeiro trimestre deste ano, enquanto 19 por cento prevêem um aumento; já 23 por cento acreditam que o volume das vendas desça entre Janeiro e Março.

 

Quanto aos preços das vendas, a maioria dos inquiridos – 65 por cento – acredita numa estabilização, neste primeiro trimestre. Por outro lado, 27 por cento estão mais optimistas e prevêem mesmo subidas nos preços. Em sentido inverso, oito por cento dos participantes no inquérito esperam que os preços das vendas do comércio a retalho caiam entre Janeiro e Março.