Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

Deputados criticam apoio aos portadores de deficiência
Quinta, 20/02/2014

O Governo não apoia os portadores de deficiência como devia. Esta é uma opinião partilhada por alguns deputados que, esta tarde, numa sessão na Assembleia dedicada às interpelações orais, pediram mais equipamentos sem barreiras e o aumento dos subsídios.

 

Os deputados realçam que a falta de equipamentos nas ruas, nos autocarros e mesmo nos serviços públicos está a impedir que alguns deficientes saiam de casa. Leong Veng Chai, o autor da interpelação oral sobre o assunto, questiona: “se o Governo não toma a iniciativa como vão os privados?”. O número dois da lista Nova Esperança apela ao Governo para exigir, por exemplo, às concessionárias do jogo que “assumam a sua responsabilidade social” e “ajudem os seus trabalhadores a tomar contas dos filhos deficientes”.

 

Os deputados insistiram ainda na falta de oportunidades de emprego para os portadores de deficiência. Angela Leong, também administradora delegada da SJM,  considera que deve ser o Governo a dar o primeiro passo. “Quanto à contratação de pessoas com deficiência, espero que seja o Governo, antes de mais, a tomar a iniciativa de dar mais oportunidades de emprego às pessoas deficientes”.

 

Em resposta o presidente do Instituto de Acção Social “promete negociar com as concessionárias do jogo para resolver o problema”, ou seja, para que ajudem a melhorar as condições dos deficientes e respectivas famílias. Já sobre o aumento dos subsídios, Iong Kong Io não se comprometeu, embora tenha admitido, a certa altura, que os valores podem ser “insuficientes”.