Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

Deputados querem planos para o futuro no sector do turismo
Segunda, 17/02/2014

Kou Hoi In pediu mais itinerários turísticos, por forma a libertar mais a zona do Senado e das Ruínas de S. Paulo, numa intervenção no período antes de ordem do dia. Já Kwan Tsui Hang pede ao Governo para traçar planos e políticas para o futuro, face à abertura da nova ponte entre Zhuhai-Macau-Hong Kong e os projectos do Cotai. “Desejo que o Governo comece quanto antes por proceder a um estudo sobre o planeamento global do desenvolvimento da indústria do turismo, nomeadamente, das questões relacionadas com a nossa capacidade de acolhimento de turistas e da diversificação da sua fonte. Para além disso, há ainda que estudar as vantagens trazidas a Macau pelo seu posicionamento enquanto cidade de turismo e de lazer e a diversificação da fonte de turistas, no sentido de atenuar as pressões sofridas quer no entendimento dos visitantes, nomeadamente, na passagem alfandegária, quer no trânsito de Macau”, afirma a deputada.

 

Dominic Sio sublinha também os desafios do futuro com a entrada em funcionamento da nova ponte e deixa um alerta ao Executivo. “O Governo necessita de ter visão prospectiva e capacidade de previsão, e ter tudo preparado para enfrentá-las. A nova conjuntura vai trazer oportunidades e novos desafios. Se se não conseguir resolver quanto antes os actuais problemas sociais, quando aparecerem no futuro novos problemas, o tempo que se vai gastar na sua resolução vai aumentar e os problemas vão tornar-se mais complicados, o que não é de forma alguma benéfico para o desenvolvimento de Macau”, aconselha o deputado.

 

Si Ka Lon está também preocupado com o grande número de turistas e o impacto na vida da população. “Nas ruas não há espaço para passar; nos autocarros, não se encontra nem espaço nem lugar para sentar; regista-se a cobrança de taxas excessivas pelos taxistas, e a necessidade de controlar o fluxo de passageiros nos postos transfronteiriços e nos diversos pontos turísticos. Tudo isto tem já um impacto muito negativo para os visitantes e para a vida dos residentes”, sublinha Si Ka Lon. O deputado entende que se deve reforçar a capacidade dos recursos para minimizar os efeitos, por exemplo, pôr mais autocarros a funcionar em épocas festivas. Para Si Ka Lon, o Governo deve ainda “criar mais elementos de lazer”, “haver uma tiragem de turistas e elevar a qualidade turística”.